Convênio foi assinado nesta segunda-feira 

Parceria entre a Prefeitura de Campo Grande, Câmara Municipal e Governo do Estado vai destravar R$ 180 milhões em recursos federais que vão garantir diversas obras na Capital. A assinatura do convênio ‘Juntos por Campo Grande´, que vai trazer melhorias na área da infraestrutura, saúde, segurança pública, educação e esporte, aconteceu na noite desta segunda-feira (4) na Câmara de Vereadores.

Durante a cerimônia de assinatura da liberação de verba, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) voltou a exaltar o bom relacionamento entre os poderes Executivo Municipal e Estadual, o que para ele, beneficia diretamente a população. “Hoje acontece algo que muitos não esperavam, ver o prefeito e o governador de mãos dadas e isso deve ser um exemplo”, afirmou.

Assim como Marquinhos, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) falou sobre a importância da união entre os governantes, “em um momento onde o cenário político nacional enfrenta um momento atribulado”.

O presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), lembrou que há anos, moradores dos bairros que serão beneficiados pelo convênio aguardam pelas melhorias. “Estamos diante de um grande investimento que vai ser direcionado a bairros que estão esperando por isso há 20, 30 anos”, disse.

Obras

Entre estas obras está o manejo de águas pluviais do Rio Anhanduí, que prevê recapeamento, drenagem e recuperação das margens do córrego, que em alguns casos já cedeu e coloca em risco os motoristas que trafegam diariamente na Avenida Ernesto Geisel.

A união entre os três poderes também vai possibilitar a continuidade, ainda este ano, do Parque Linear do Bálsamo, em construção desde 2012, além da pavimentação asfáltica dos bairros Nova Lima e Vila Nasser. Além disso, diversos outros bairros receberão investimentos

O total de repasses por parte do Governo do Estado deve chegar a R$ 60 milhões, sendo que os primeiros R$ 15 milhões serão suficientes para fazer com que o município consiga destravar cerca de R$ 180 milhões em obras.

O dinheiro a ser liberado pela gestão de Azambuja deve servir para que o governo de Marquinhos Trad (PSD) tenha caixa para a contrapartida para liberação de recursos federais, garantida pelo prefeito durante reunião em Brasília com o presidente da República Michel Temer (PMDB) no início de julho.