Cotidiano

Paralisação continua na Santa Casa e enfermeiros pedem apoio da Prefeitura

Grupo quer que Município repasse recurso ao hospital

Midiamax Publicado em 09/08/2017, às 11h49

None

Grupo quer que Município repasse recurso ao hospital

Paralisação dos funcionários da enfermagem e do setor administrativo da Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande continua. Ontem (8) os trabalhadores paralisaram as atividades por falta de pagamento. Hoje eles pretendem seguir em caminhada até a Prefeitura a fim de pedir que o repasse do hospital seja efetuado.

“Faremos uma caminhada da Santa Casa até a Prefeitura. Vamos pedir ao prefeito que pague a Santa Casa, já que o hospital alega que não pagou os funcionários porque não recebeu o recurso”, explica o diretor-financeiro do Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), Sebastian Rojas.

Na terça-feira, após o movimento começar, a assessoria de comunicação da Santa Casa afirmou que o pagamento depende do repasse de R$ 20,3 milhões que não foi pago pela Prefeitura – gestora plena da saúde  no município. Por esta razão, o hospital não tem condições de manter a folha de pagamento.Paralisação continua na Santa Casa e enfermeiros pedem apoio da Prefeitura

Ontem, ao ser questionado sobre a paralisação na Santa Casa, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que  não tem responsabilidade sobre o salário dos funcionários. “A única folha de pagamento que eu resolvo é a dos servidores municipais”, pontuou.

Dívida –

Além do repasse referente a julho – que deve ser pago em agosto -, a Santa Casa afirma que a Prefeitura deve R$ 2,5 milhões referentes a junho e que deveria ser pago em julho.

Por outro lado, a assessoria de comunicação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) esclarece que o pagamento não pode ser efetuado por conta das negociações sobre a contratualização do hospital, que tiveram início em janeiro deste ano.

Caso não haja acordo entre as partes, um novo aditivo deve ser firmado para que o repasse seja efetuado. Em relação aos R$ 2,5 milhões mencionados, a assessoria de comunicação alega que a quantia é de responsabilidade do governo do Estado e que a Prefeitura não recebeu esse valor.

Paralisação –

Ontem funcionários da enfermagem e do setor administrativo paralisaram as atividades depois de realizarem assembleia no pátio do hospital.  Conforme representantes sindicais apenas 30% dos trabalhadores de cada uma das categorias que aderiu ao movimento permanece trabalhando.

De acordo com as informações, a Santa Casa conta com 1.400 profissionais de enfermagem e aproximadamente 1 mil funcionários do setor administrativo. Os trabalhadores mantêm a paralisação por tempo indeterminado.

Jornal Midiamax

☰ Últimas Notícias