Cotidiano

Pacientes que morreram de gripe eram idosas e não foram vacinadas

Mortes constam no último boletim epidemiológico

Midiamax Publicado em 03/07/2017, às 12h46

None

Mortes constam no último boletim epidemiológico

As duas últimas vítimas de gripe confirmadas no boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) eram idosas e não tomaram vacina contra influenza. 

Segundo a  assessoria de comunicação da SES, as mortes, uma por H3N2 registrada em Campo Grande e outra por influenza B em Coxim, ocorrem entre maio e junho.

De acordo com as informações, a terceira vítima de H3N2 registrada desde o início do ano em Mato Grosso do Sul é uma mulher de 87 anos, que residia em Campo Grande.  Ela tinha peneumopatia, doença cardiovascular e neorológica. O óbito foi registrado  no dia 20 de maio.

A outra vítima, que aparece no boletim epidemiológico do dia 30 de junho, é uma mulher de 60 anos, que morava em Coxim. Ela estava com influenza B, tinha diabetes e morreu no dia 20 de junho.Pacientes que morreram de gripe eram idosas e não foram vacinadas

a primeira morte por gripe registrada desde o início de 2017 é um homem de 36 anos. O paciente é de Campo Grande, tinha doença crônica, não informada, estava internado no HU (Hospital Universitário) Maria Aparecida Pedrossian e morreu no dia 30 de março, sete dias depois de apresentar os primeiros sintomas de H3N2.

Embora ele seja a primeira vítima – de acordo com a data de confirmação dos óbitos – a morte só foi informada no boletim epidemiológico doa dia 19 de junho.

Antes dele, outros dois óbitos que ocorreram posteriormente foram informados. A primeira morte anunciada foi de uma bebê de 1 ano, diagnosticada com H2N3 e depois, a segunda morte divulgada é de uma mulher, de 40 anos, com influenza A não subtipado. Elas começaram a apresentar os sintomas no dia 26 de abril e morreram quatro dias depois, em 30 de abril.

Último boletim epidemiológico divulgado pela SES mostra que o número de casos confirmados de H3N2 subiu para 63 em Mato Grosso do Sul, desde o início do ano.

Jornal Midiamax