Cotidiano

Marquinhos Trad oferta 15% de reajuste aos servidores da Saúde

Categorias avaliam aumento proposto em assembleias

Celso Bejarano Publicado em 03/07/2017, às 23h02

None

Categorias avaliam aumento proposto em assembleias

A prefeitura de Campo Grande ofertou na noite desta segunda-feira, (1) 15% de aumento salarial aos servidores que atuam no segmento da saúde – médicos, enfermeiros, veterinários, odontólogos. As categorias não disseram nem sim nem não à proposta, contudo, prometeram retornar à mesa de negociação, assim que tratarem o assunto com os servidores que reivindicam o reajuste.

“Estamos muito próximos de um acordo”, acredita o secretário municipal de Orçamento e Finanças, Pedro Pedrossian Neto.

Os 15% do reajuste não entram diretamente nos salários dos servidores. O percentual será acrescido por meio de incorporações ou, os conhecidos abonos salariais.

“Ao menos até agora o assunto [aumento] distensionou”, afirmou Pedrossian Neto.

Semana passada, os médicos deflagram greve e a Justiça, a pedido da prefeitura, aplicou multa diária de R$ 10 mil ao sindicato da categoria, caso o manifesto permanecesse. Como os médicos mantiveram o ato, o município ingressou com outra petição solicitando que a sanção fosse aumentada para R$ 100 mil e a corte concordou. Ou seja, se a paralisação continuasse, o sindicato dos Médicos poderia ficar endividado dado à briga por reajuste da categoria.

O enfermeiro e vereador Hederson Fritz, do PSD, presidente do sindicato da categoria saiu confiante da reunião que durou ao menos três horas no gabinete do prefeito Marquinhos Trad, também do PSD, que conduziu a audiência.

Os enfermeiros tinham pedido R$ 750,00 de aumento, cifra que entraria no salário da categoria como abono. A prefeitura, contudo, ofereceu a metade da reivindicação, isto é, R$ 375,00, valor que atinge em torno de R$ 15% de aumento. “Vamos agora (na noite desta segunda-feira (1) definir com a categoria se aceitamos”, afirmou o vereador, com semblante de quem gostara do oferecido pela prefeitura.

Depois que as categorias do setor médico da prefeitura decidirem a proposta, elas retomam diálogo, com data ainda indefinida, com o prefeito. O reajuste entra no salário dos servidores no mês de agosto.

O município acertou com os professores – cerca de 8 mil – o reajuste, que assim ficou definido: 7,64%, dos quais 0,25% a cada mês daqui em diante e 5% em dezembro próximo.

Jornal Midiamax