Manifestantes deixam prédio do Ministério do Trabalho após 24 horas de ocupação

O atendimento ao público foi normalizado 
| 19/04/2017
- 16:10
Manifestantes deixam prédio do Ministério do Trabalho após 24 horas de ocupação

O atendimento ao público foi normalizado 

Os manifestantes que ocupavam o Ministério do Trabalho em Campo Grande, em contra as reformas trabalhistas planejadas pelo presidente Michel Temer (PMDB), desocuparam o prédio pacificamente, às 8 horas desta quarta-feira, 19, após 24 horas de protesto. A instituição informou que os atendimentos ao público foram normalizados. 

A desocupação ocorreu depois da ‘vitória’ plenário da Câmara dos Deputados na noite de ontem, 18, que rejeitou o requerimento de urgência que tentava acelerar o andamento do projeto de reforma trabalhista. Com a rejeição do requerimento de urgência, o relator da , o deputado Arthur Maia (PPS-BA), lê seu parecer hoje, 19, e a votação deve ocorrer no dia 8 de maio. 

Até o dia da votação, em 20 dias, trabalhadores e representantes das centrais em Mato Grosso do Sul afirmam que as manifestações vão continuar; a próxima prevista para o dia 28 de abril. “É uma pequena vitória, mas é significativa. Vamos continuar com a resistência, mas por hoje encerramos nosso ato no Ministério Público”, comentou Genilson Duarte, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) em Mato Grosso do Sul. 

A maioria dos manifestantes era de representantes de centrais sindicais do Estado. Eles ocuparam o prédio do Ministério do Trabalho na rua 13 de Maio, no Centro, por volta das 8 horas da manhã de terça-feira, 18. Por causa  da manifestação, os atendimentos no local foram paralisados, e a mais de 300 pessoas deixaram de ser atendidas.  

Veja também

MPF deu um prazo de 72 horas para órgãos e entidades oficiais enviarem informações sobre o confronto

Últimas notícias