Mais um Judas aparece na Capital: tradição é motivo para reunir a família em festa

‘Judas Temer’ foi o apelido do boneco
| 15/04/2017
- 22:20
Mais um Judas aparece na Capital: tradição é motivo para reunir a família em festa

‘Judas Temer’ foi o apelido do boneco

Depois de o Jornal Midiamax sair às ruas de Campo Grande procurando e só encontrar um boneco de Judas, neste Sábado de Aleluia, um leitor encaminhou fotos de outro Judas, dessa vez, no Bairro Estrela do Sul.  O boneco foi apelidado de “Judas Temer”.

Segundo o servidor municipal Anderson Carlos Alves, na família a tradição é escolher uma ‘vítima’ e colocar o boneco para dar um susto na pessoa. Quem receber a visita do Judas, será o responsável por fazer uma festa para todos.

A ‘vítima’ desse ano foi Almiro, tio de Anderson. Durante a madrugada, o Judas foi deixado em cima do carro na garagem e assustou Almiro nesta manhã. Tudo documentado com fotos. Depois, boneco ainda foi passear de motocicleta com um dos primos pelas ruas do bairro.

O servidor explica que a família cresceu no Bairro Monte Carlo, próximo da Paróquia São Sebastião e que, antigamente, era comum encontrar bonecos de Judas pendurados nos portões das casas bairro, no Sábado de Aleluia.

A tradição da família esse ano foi passada às crianças que, primeiro, ficaram com medo e depois, empolgadas com o Judas. “Na tradição, o Sábado de Aleluia traz a Páscoa e fala que as crianças têm de apanhar, se fizeram arte na sexta-feira, e que de que obedecer”, diz.

O Judas deve ser malhado na festa da família na noite deste sábado. A tradição religiosa de malhar o Judas foi introduzida na América Latina pelos portugueses e espanhóis no século XVI, e também é conhecida por enforcamento ou queimação.

O ato representa o julgamento popular contra Judas, um dos discípulos de Jesus que teria o traído, segundo a Bíblia. Os relatos contam que Judas indicou Jesus para ser crucificado com um beijo no rosto. Pela traição, o apóstolo recebeu 30 moedas de ouro.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Veja também

Com greve de motoristas descartada, ônibus devem circular normalmente nesta quinta

Últimas notícias