Cotidiano

Férias das escolas de Dourados serão mais longas para economizar com contratações

Semana sem aulas será compensada nos sábados  e em outras três datas.

Midiamax Publicado em 07/07/2017, às 08h23

None

Semana sem aulas será compensada nos sábados  e em outras três datas.

As férias do meio de ano nas escolas da Rede Municipal de Ensino que tradicionalmente duram apenas 15 dias serão prolongadas por mais uma semana por decisão da Secretaria Municipal de Educação.

Por meio de uma “comunicação interna” enviada para as direções de todas as escolas e centros de educação infantil a secretária Denize Portolann de Moura Martins autoriza alteração do calendário escolar para o segundo semestre.

Com a decisão os alunos a partir de sábado, dia oito, estarão sem aulas e só voltarão às escolas no dia 31 de julho totalizando 23 dias de folga em casa.

Estas férias prolongadas atingem não apenas os alunos do ensino fundamental mas também as crianças matriculadas nos Centros de Educação Infantil.

Já os professores voltam ao trabalho no dia 27 de julho, sendo que nos dias 27,28, 29 e 31 estarão reunidos em suas respectivas escolas na atividade pedagógica denominada “atualização do Projeto Político Pedagógico”.

Com esta alteração no calendário escolar os dias para atividades pedagógicas que estavam previstos para dois de setembro, 21 de outubro, 12 de dezembro serão dias normais de aulas além de mais três sábados ainda no terceiro bimestre para compensar a semana a mais de férias.

No comunicado a secretária de Educação afirma que a alteração no calendário escolar foi feita considerando todas as dificuldades que a Prefeitura vem “enfrentando neste período por conta das necessidades de contenção de despesas”.

As medidas, segundo Denize Portolann, foram tomadas para que a Secretaria de Educação tenha uma margem de segurança para que a Prefeitura possa “sem prejuízo para o servidor, arcar com a folha de pagamento” não apenas da secretaria de Educação e “da Prefeitura como um todo”.

Com a prorrogação das férias escolares, conforme a decisão da Secretaria de Educação, “todos os contratos para as vagas que não serão preenchidas por professores chamados no concurso deverão ser feitas a partir do dia 01/08/2017”. Desta forma a Prefeitura economiza no pagamento de uma semana de salários aos professores contratados.

Com as alterações gestores das escolas e dos Centros de Educação Infantil deverão, segundo a decisão da Secretaria de Educação, deverão organizar a escala de trabalho dos servidores administrativos para que a unidade escolar não fique “sozinha e nem fechada” na semana a mais sem aulas.

Jornal Midiamax