Cotidiano

Depois de 5 anos existindo só na placa, Cidade dos Ônibus pode deslanchar

Projeto é de 2012 e tem preocupação ambiental

Wendy Tonhati Publicado em 25/01/2017, às 13h56

None
cidade_onibus_1.jpg

Projeto é de 2012 e tem preocupação ambiental

Depois de quase cinco anos existindo apenas em uma placa, já deteriorada, a Cidade dos Ônibus pode finalmente deslanchar. É o que indica o titular da Sedesc (secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência E Tecnologia e Agronegócio), Luiz Fernando Buainain. 

Em visita ao Pólo Industrial Norte, na manhã desta quarta-feira (25), Buainain revelou que está sendo feita uma análise, chamada por ele, de pente-fino, no projeto original e que já foi enviado à Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) o pedido de licença ambiental. Mesmo assim, o secretário não deu datas e nem valores do investimento que será dividido entre Prefeitura e empresários do setor. 

O lançamento da Cidade dos Ônibus, localizada na Anel Viário -fundo das Moreninhas – ocorreu  na gestão do ex-prefeito Nelson Trad Filho (PTB), em 2012. A expectativa é de que o local abrigue 20 empresas do setor de transporte de passageiros e conte com infraestrutura de central de abastecimento dos veículos, lava-jato, dormitório, creche, posto bancário e as garagens. 

“É um projeto muito importante e terá preocupação ecológica. Por exemplo, com a mesma água vai ser possível lavar 27 ônibus. Também terá restaurante para 2,5 mil pessoas e um alojamento com 1,5 mil leitos. O objetivo é tirar todas essas garagens da área urbana e levar para um lugar só”, disse  Buainain.

Segundo secretário, também há preocupação com o abastecimento dos ônibus e a possibilidade até de barateamento do combustível, já que todas as empresas poderão comprar de uma vez só. 

“Assim que sair a licença ambiental, vamos organizar organograma da construção em si. Não dá para falar quando fica pronto e o investimento, que é em parte da Prefeitura e das empresas.  Mas, os empresários bem animados com esse projeto, finalizou o secretário. 

Cidades dos Ônibus

As empresas ocuparão área de 105,9 mil metros quadrados, além de receberem incentivos fiscais. Em 2015, quando os vereadores aprovaram os primeiros incentivos fiscais e doações de terrenos, foi divulgado que a estimativa é de que, em um primeiro momento, nove empresas (Eucatur União Cascavel, Andorinha, Expresso Mato Grosso, Expresso Queiroz, Viação Motta, Viação São Luiz, Viação Umuarama, Viação Nova Integração e Viação Cruzeiro do Sul) investissem R$ 11,4 milhões e gerassem 1,1 mil empregos no projeto. 

Algumas delas, como a Motta, Andorinha e São Luiz, ganharam terrenos de 17,2 mil m², direito a redução de 30% do IPTU por três anos, isenção de taxas e de ISS sobre as obras de construção do empreendimento, inclusive as executadas por terceiros.

Jornal Midiamax