Cotidiano

Após atraso de 4 meses, Prefeitura repassa R$ 5,1 milhões ao Hospital do Câncer

Dívida foi deixada por Bernal

Jessica Benitez Publicado em 17/01/2017, às 19h58

None
hcmarquinhos.jpg

Dívida foi deixada por Bernal

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), assinou aditivo e quitou atraso deixado pela gestão de Alcides Bernal (PP) com o Hospital do Câncer Alfredo Abraão, totalizando repasse de R$ 5,1 milhões. De acordo com a direção da unidade, desde outubro do ano passado a Prefeitura não repassava valor acordado.

Agora, com o aditivo, a contratação fica válida até março deste ano. Neste período ambas as partes vão estudar se haverá alteração de valores e de regras para recontratação. No montante também está incluso os R$ 1,7 milhão que a Justiça bloqueou do Executivo a pedido do próprio HC devido ao atraso já instalado.

No lugar do presidente do hospital Carlos Alberto Coimbra, que está em viagem, o diretor financeiro Cláudio Osório Machado, assinou o aditivo junto com Marquinhos. Além da continuação da ajuda contratualizada com valor mensal de R$ 1,7 milhões, continua também contrato no valor de R$ 282 mil para a realização de exames laboratoriais, que será pago mediante utilização.

Osório contou que a gestão passada de Campo Grande fez tal contrato porque na rede municipal faltava materiais essenciais para isso. “Então contrataram o Hospital do Câncer para fazer os exames”, explicou.

A Prefeitura procurou a unidade para regularização da situação logo nos primeiros dias de mandato. O prefeito disse assinar o aditivo com tristeza, porque isso deveria ser feito como obrigação e não um favor. “Quando você ouve uma Prefeitura dizer 'não faço repasse, se quiser judicialize', é muito triste”, disse referindo-se a Bernal.

Situação – Após passar por reforma o HC ganhou mais 10 leitos, ficando com 20. No entanto, ainda estão inativos porque precisa de autorização da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). Contudo, conforme o titular da pasta, a Saúde do Estado também tem que atuar. “Assim que o secretário do Estado voltar de recesso, nós vamos marcar reunião e resolver isso”.

Jornal Midiamax