Cotidiano

Vigilância fiscaliza 81 comércios e não encontra achocolatado interditado

Prazo de suspensão é de 90 dias

Midiamax Publicado em 31/08/2016, às 20h09

None
itambe.jpg

Prazo de suspensão é de 90 dias

A Vigilância Sanitária ainda não encontrou o lote do achocolatado Itambézinho interditado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no comércio de Campo Grande. O órgão municipal já vistoriou 81 comércios desde o último sábado (27).

A Resolução da interdição cautelar, da bebida láctea fabricada pela empresa Itambém Alimentos S/A foi publicada no DOU (Diário Oficial da União), desta segunda-feira (29), motivada pela suspeita de associação do óbito de uma criança uma hora após a ingestão do produto, em Cuiabá/MT, na última quinta-feira (25).

Vale ressaltar, que o prazo de suspensão da venda é de 90 dias, enquanto isso não haverá recolhimento do produto, pois a causa da morte é investigada. Nesse período, o comércio ficará apenas proibido de vender o achocolato do estoque.

O lote é o nº 21:18 (val.: 21/11/2016), do produto Bebida Láctea UHT sabor chocolate, 200ml, marca: Itambezinho, fabricado por Itambém Alimentos S/A. (CNPJ 16.849.231/0005-38), SIF 769, situada na Rodovia BR 262 s/n, Km 403, Patafufo. Para de Minas/MG. 

A Coordenadoria de Vigilância do Estado esclarece que a interdição é uma atividade comum e utilizada rotineiramente quando existe a suspeita de contaminação ou desvio de qualidade de qualquer tipo de produto de interesse à saúde.

A polícia aguarda os laudos da necrópsia feita com amostras de tecido do estômago da criança, a fim de identificar a substância que a vitimou. Já a empresa Itambé divulgou nota em que afirma ter ficado ciente do ocorrido e que acompanha e auxilia a apuração dos fatos.

Jornal Midiamax