Cotidiano

Valor do passe sai depois da eleição e Bernal descarta aumento para R$ 4

No ano passado aumento foi de R$ 0,25

Wendy Tonhati Publicado em 21/10/2016, às 13h24

None
cf727d59-a87d-419a-a8c0-675c99b9abc8.jpg

No ano passado aumento foi de R$ 0,25

O prefeito Alcides Bernal (PP) disse na manhã desta sexta-feira (21), durante o sorteio de prêmios do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), que o valor da nota tarifa do transporte público só vai ser conhecido após a eleição do novo prefeito. “O reajuste ainda está sendo definido e vai ser passado para o próximo gestor”, disse. 

Sobre a especulação de aumento de R$ 3,25 para R$ 4, Bernal afirmou que “não existe essa possibilidade. É mais uma mentira de campanha eleitoral. O reajuste ainda está sendo definido”. 

Ainda conforme o prefeito, o reajuste será com base na reposição inflacionária. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) já divulgou o acumulado do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) -considerada a inflação oficial do país- de setembro. O índice ficou em 8,48%, nos últimos 12 meses. Do ano de 2015 para 2016 , o percentual de reajuste da tarifa de ônibus foi de 8,83%

Aumento

A tarifa do transporte coletivo teve aumento de 30% nos últimos cinco anos. Entre 2010 e 2016, o valor passou de R$ 2,50 para R$ 3,25. No mesmo período, o número de veículos cresceu 10%, passando de 537 para 593 ônibus. 

O reajuste é aplicado pela Prefeitura entre o fim de outubro e meados de novembro. O estudo que determina o valor da tarifa tem duração, em geral, de um mês e leva em consideração índices oficiais do período mais próximo a data do reajuste. 

Valor do passe sai depois da eleição e Bernal descarta aumento para R$ 4O percentual de aumento não precisa ser aprovado pela Câmara Municipal. Porém, os vereadores prometeram convocar audiência pública para discutir o assunto e 'abrir a caixa preta' do transporte coletivo. 

Para calcular de quanto será o reajuste, são levados em consideração a variação do preço do combustível -diesel-, o percentual de reajuste do salário do motorista -por meio de convenção coletiva da categoria-, o INPC (Índice de Preços ao Consumidor )acumulado, o IPCA-Oferta Global – valores entre a data de cálculo da tarifa em vigor e a data de elaboração do cálculo do reajuste)- e o número de passageiros pagantes por quilômetro equivalente nos últimos doze meses. 

De acordo com o IBGE, considerando os últimos 12 meses (setembro 2015-setembro 2016), o INPC está em 9,15%. Em setembro de 2015, o INPC registrou 0,51%. Do ano de 2015 para 2016 , a passagem o percentual de reajuste foi de 8,83% . 

Reclamações

Enquanto a tarifa do trasporte público aumenta todos os anos, a população reclama dos problemas e da falta de conforto nos coletivos. Lotação, passagem cara, poucos ônibus e falta de conforto são apenas algumas das queixas

Jornal Midiamax