Cotidiano

Sem verba pública, Hospital de Barretos tem sobrevida de 3 meses na Capital

Custo operacional é de R$ 350 mil por mês

Ana Paula Chuva Publicado em 30/06/2016, às 21h52

None
_mg_2158_interna.jpg

Custo operacional é de R$ 350 mil por mês

Com um custo operacional de R$ 350 mil por mês Instituto de Prevenção do Câncer Antônio Morais dos Santos, unidade do Hospital de Câncer de Barretos em Campo Grande, tem estimativa de sobrevivência de mais três meses apenas, caso não consiga credenciamento para repasse da SES (Secretaria Estadual de Saúde) e da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). 

De acordo Flávia Carvalho, diretora administrativa do hospital, a unidade de Campo Grande não possui dividas, mas com custo operacional alto e sem repasse algum eles não descartam a possibilidade do fechamento do hospital em no máximo 90 dias. “O Hospital não tem dividas, mas com o custo que temos hoje, é possível que o hospital sobreviva apenas mais 3 meses, caso não haja esse credenciamento”, diz.

A unidade que fica no bairro Aero Rancho aqui na capital, conta com a aprovação do credenciamento pelo Conselho Municipal de Saúde para que haja um repasse de R$60 mil por parte do Governo Estadual e outros R$ 60 mil por parte da Prefeitura, totalizando um repasse de R$120 mil que representa 1/6 do custo operacional do Hospital hoje.

Flávia afirma que a diretoria da unidade já fez as contas, “A diretoria do hospital já conta com este déficit, mas é mais fácil correr atrás de uma parte do déficit pela filantropia do que conseguir valor integral, até porque sem esta ajuda existe a possibilidade do fechamento da unidade em no máximo 90 dias”, conclui.

Representantes do Hospital estiveram em reunião com representantes do Governo na tarde desta quinta-feira (30). 

(Sob supervisão de Marta Ferreira)

Jornal Midiamax