Cotidiano

Se transporte escolar não chegar a aldeia, pais prometem bloquear BR-163

Secretaria de Educação espera normalizar transporte até o fim da semana

Midiamax Publicado em 01/03/2016, às 21h52

None
cimi_2.jpg

Secretaria de Educação espera normalizar transporte até o fim da semana

As crianças que vivem no acampamento TekohaTajasu Iguá, em Douradina – cidade a 170 quilômetros de Campo Grande – estão sem ir à escola porque o ônibus escolar não chega ao local. Preocupados com a situação, os indígenas já confirmaram que se o transporte não passar nesta quarta-feira (02), eles vão fazer um protesto e bloquear a BR-163. A Secretaria de Educação justifica que as más condições da estrada são o problema e afirma que vai normalizar a situação até o fim da semana.

A liderança dos indígenas Guarani-Kaiowá, Roselino Sanabria, disse que desde o meio do ano passado o ônibus não chega e as famílias estão até sem Bolsa-família no acampamento, que fica a 17 quilômetros da Lagoa Rica, outra aldeia maior da região. “As aulas do Estado começaram ontem. As 12 crianças da aldeia estão sem ir para escola porque o ônibus não vem, e não temos como levar”, afirma.

Roselino disse que pediu providências à Secretaria de Educação. “A Funai ligou para a secretaria hoje de manhã, e eles falaram que o ônibus está estragado. Eu fui lá conversar com o professor Ismael e ele comentou na minha frente com o motorista que o ônibus devia passar no acampamento, mas o próprio motorista disse que não passou porque a estrada estava ruim”, explica.

De acordo com o assessor de Gabinete da Secretaria de Educação, Ismael Narciso, o problema será solucionado até o fim da semana. “O que acontece é que o ônibus não está conseguindo entrar na fazenda. Nós até pedimos para procurarem os indígenas e explicar a situação. Os motoristas tentam fazer o serviço, mas não conseguem. Estamos arranjando um ônibus menor porque em algumas fazendas a manobra se faz difícil no ônibus grande (que faz a rota hoje). Esperamos resolver o mais rápido possível. Amanhã cedo já deve ter um ônibus, não é um ônibus novo, mas esse caso pede uma situação de emergência”, explica.

Segundo Ismael, o acampamento Tajasu Iguá é o único que sofre com o problema. “Apenas as crianças deste aldeia estão sem ir à escola, porque chegar lá é difícil mesmo”, cita.

A Funai (Fundação Nacional do Índio) de Dourados informou a equipe de reportagem do Jornal Midiamax que a Prefeitura Municipal de Douradina alegou haver ocorrido um problema mecânico no ônibus escolar responsável pelo transporte dos estudantes dessa comunidade e que a manutenção deve ser concluída ainda no decorrer dessa semana.

O órgão repassou a informação às lideranças da comunidade, assim como instruções sobre como proceder no sentido de se realizar denúncia ao Ministério Público caso não se sentissem satisfeitos com as providências tomadas pela Prefeitura.

Já, segundo Roselino, o prazo que deram da volta do transporte escolar foi segunda-feira que vem (7). “Todo mundo já perdeu a paciência, assim não dá. As crianças estão sem ir para escola. Nós vamos protestar na rodovia se o ônibus não vir amanhã cedo”, cita. 

Jornal Midiamax