Cotidiano

Prefeitura diz que elevador de escola será arrumado e empresa contratada para manutenção

Aluno cadeirante e professora ficaram presos no dia 18

Midiamax Publicado em 22/02/2016, às 20h06

None
bombeiro_elevador.jpg

Aluno cadeirante e professora ficaram presos no dia 18

A Prefeitura esclareceu que o elevador que estragou na quinta-feira (18) na Escola Municipal Danda Nunes, em Campo Grande, deixando um aluno cadeirante e uma professora trancados, será arrumado e uma empresa contratada para a manutenção.

Segundo a assessoria, a Secretaria Municipal de Educação soube do ocorrido e vai providenciar a manutenção do equipamento. Um processo para contratação de empresa especializada, neste tipo de manutenção de elevadores, também já transita na administração. “O processo para contratação de serviços ou aquisição de produtos é obrigatório o uso da Lei 8.666/1993, que rege esse seguimento administrativo e configura a obediência a prazos e termos da Lei”.

A diretoria da Escola informou que o técnico foi até o local e fez a abertura da porta do elevador.

Sobre o caso

O elevador da escola estragou no fim da tarde de quinta-feira (18) quando um aluno cadeirante e uma professora desciam. O pai descobriu que o filho estava preso quando foi buscar a criança no fim da aula. Segundo os pais, eles esperaram por horas o resgate porque o Corpo de Bombeiros estava atendendo outros chamados por causa do temporal que atingiu a cidade naquele dia.

Os pais ainda citaram que não foi a primeira vez que o problema aconteceu. “Faz quatro anos que meu filho estuda na escola e direto o elevador estraga. Um outro aluno também já ficou preso no ano passado. Depois até arrumaram o elevador para as eleições, mas depois já estragou de novo”, disse a mãe do garoto de 8 anos,  Adriana Feitosa Gomes, de 39 anos.

O garoto nasceu prematuro, tem paralisia cerebral, e precisa da cadeira de rodas. “É uma drama que não sou só eu, mas todos os pais que tem filhos especiais estão sofrendo. Estamos nessa briga para conseguir alguma coisa, mas está difícil”, cita a mãe.

Jornal Midiamax