Cotidiano

Piora estado de saúde de Betina, menina que espera transplante de medula

Criança luta contra leucemia há dez meses 

Clayton Neves Publicado em 05/08/2016, às 17h01

None
13886964_10153899723367199_1713923697536167090_n.jpg

Criança luta contra leucemia há dez meses 

A menina Betina Vieira Vanderlei de Oliveira, de 1 ano e três meses, que há 10 meses luta contra a leucemia, teve piora no quadro de saúde e os médicos estão fazendo um protocolo de diagnóstico de morte encefálica. Ela está internada no Hospital Regional Rosa Pedrossian.

O caso da criança ficou conhecido depois que o pai, o advogado Helio Filho, de 40 anos, fez uma publicação em seu perfil no Facebook, pedindo que pessoas se cadastrassem no banco de doadores de medula óssea de Mato Grosso do Sul.

A luta

Diagnosticada com leucemia em dezembro do ano passado, aos 5 meses, Betina ficou por dois meses internada no Hospital Regional. Para acompanhá-la entre uma sessão e outra de quimioterapia, a mãe deve de largar tudo e ir morar com a menina na unidade hospitalar.

 No fim do mês de fevereiro a criança recebeu autorização médica para retornar para o aconchego de casa. Todavia, cinco meses mais tarde, viria à notícia que a família não esperava e não queria receber: A doença havia voltado e somente um transplante de medula óssea poderia salvar a vida da pequena.

Solidariedade

Cerca de quinze minutos e apenas 4 ml de sangue é o que é preciso para entrar no cadastro de doação de medula óssea. Com estes dois gestos é possível salvar a vida de centenas de pessoas.

Atualmente, cerca de 145 mil pessoas fazem parte do cadastro em Mato Grosso do Sul. No Brasil o total é de aproximadamente 4 milhões de pessoas,  número que ainda é considerado baixo diante da dificuldade de se encontrar doador compatível, e da densidade populacional do País.

“Eu não era doador, passei a ser depois que tudo isso aconteceu na minha vida, mas é justamente aí que está o erro. As pessoas esperam ao pior acontecer, esperam a dificuldade chegar perto para se conscientizar que simples ações podem ajudar imensamente o próximo”, desabafa o Helio.

Como se cadastrar

Ao contrário da doação de sangue, para registro no cadastro de medula óssea não é preciso limite mínimo de peso. Também não há restrições às gestantes.

 Os interessados precisam ter de 18 a 55 anos, e não podem ter doenças venéreas ou ter tido algum tipo de câncer.

A coleta é feitas nos hemonúcleos. Em Campo Grande são três:

Hemosul

Endereço: Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1304 – Centro

Horáro: de segunda à sexta-feira das 7h às 17h e sábado das 7h às 12h

Tel: (67) 3312-1500

Santa Casa

Endereço: Rua Eduardo Santos Pereira, 88 – Centro

Horário: de segunda à sexta-feira das 7h às 11h e das 13h às 16h30

Tel: (67) 3322-4000

Hospital Regional

Endereço: Avenida Engenheiro Lutero Lopes, 36 – Conjunto Aero Rancho

Horário: de segunda a sexta-feira das 7h às 11h.

Tel: (67) 3378-2500

(Matéria editada às 15h23 para correção de informação)

Jornal Midiamax