Cotidiano

Pais reclamam de falta de alimentos e Ceinf chega a servir só arroz

Situação tem ocorrido em creches de Campo Grande  

Midiamax Publicado em 26/09/2016, às 16h10

None
merenda4.jpg

Situação tem ocorrido em creches de Campo Grande

Denúncias sobre a falta de alimentos nos Ceinfs (Centros de Educação Infantil) de Campo Grande voltam a se repetir. Conforme reclamações feitas por pais de alunos, ao Jornal Midiamax, não há feijão em várias creches da Capital e em uma delas o almoço e a janta são à base de arroz, sem nenhum acompanhamento.

Conforme denúncia feita pela mãe de uma aluna, o cardápio de carboidrato é servido no Ceinf Maria Dulce Prata Cançado, localizado no Jardim Noroeste, na região leste de Campo Grande, onde a maioria da população vive em condições precárias.

"Isso deixa a gente muito chateada. Deixamos nossos filhos no Ceinf para poder trabalhar e sabemos que eles nem oferecem alimentação adequada enquanto a Prefeitura recebe para isso", lamenta. 

Na semana passada, pais de alunos também reclamaram da falta de feijão nas refeições de vários Ceinfs. Questionada sobre o fato, a assessoria de comunicação da Prefeitura confirma a denúncia e alega ter um novo processo licitatório em andamento para compra de feijão,  leite em pó e gelatina, e outros alimentos não informados.

Em nota enviada ao Jornal Midiamax, a assessoria de comunicação da Prefeitura justifica que a falta de feijão "não compromete a refeição" e que a reclamação ocorre por "questão de hpabito alimentar cultural". 

"A equipe de nutrição da Semed, informa que a ausência do feijão não compromete a qualidade nutricional das refeições fornecidas nas escolas e Ceinf da Rede Municipal de Educação, visto que o principal nutriente que é a proteína vegetal pode ser substituída pela proteína de origem animal, como as carnes bovinas e de aves. Além disso, minerais como o ferro, comumente encontrados no feijão, podem ser fornecidos pelo consumo como a couve e beterraba. A questão dos pais enfatizarem a falta do produto Feijão é uma questão de hábito alimentar cultural – uma vez que este item podem ser substituído por outros itens com valor nutricional semelhante", justifica.

Conforme a nota, uma "equipe de nutrição da Semed realiza visita periódica nas unidades de ensino com o intuito de orientar as merendeiras quanto ao preparo das refeições, usando criatividade no preparo das refeições fazendo com que a aceitação dos alunos seja significativa – com melhor rendimento do aluno do período em que permanece na escola ou no Centro de Educação Infantil – Ceinf".

Na manhã desta segunda-feira (26), a equipe de reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura para saber o posicionamento a respeitos da situação relatada no Ceinf Maria Dulce Prata Cançado, mas até o fechamento deste texto não obteve resposta.

Jornal Midiamax