Cotidiano

PAC aponta 60 projetos na Capital, mas só 8 estão em andamento

No site do PAC, Campo Grande integra 60 obras

Midiamax Publicado em 14/11/2016, às 19h32

None
img-20150503-wa0080.jpg

No site do PAC, Campo Grande integra 60 obras

O site do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal, indica que Campo Grande integra 60 projetos. São obras de segmentos diversos: UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) e outros projetos na área da saúde, obras de infraestrutura, como pavimentação e requalificação de vias e ampliação do SAA (Sistema de Água e Esgoto). O Ministério das Cidades, no entanto, revelou ao jornal Midiamax que apenas 8 projetos estão em andamento. Confira:

Saneamento

De acordo com o Ministério, a Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental empreende 4 projetos ligados às áreas de saneamento na Capital: Abastecimento de Água – Ampliação do SAA na rede municipal -; Esgotamento Sanitário – ampliação da SES [Sistema de Esgotamento Sanitário] na rede municipal; Esgotamento Sanitário – Programa Sanear Morena 3 e Redução e Controle de Perdas – ampliação do SAA na rede municipal.

Juntas, as obras de saneamento têm orçamento previsto pelo site do PAC em R$ 357,922 milhões. Responsável pela execução, a empresa Águas Guariroba foi questionada sobre os projetos mas não respondeu.

Habitação

A Secretaria Nacional de Habitação afirma que o PAC urbanização constrói dois projetos em Campo Grande. O “Conjunto Habitacional Social Vila Morena” e a urbanização de locais próximos aos córregos Bálsamo, Segredo e Taquaral. O primeiro está nas mãos do governo do estado, de acordo com o Ministério das Cidades, e tem 57% das obras concluídas. As obras de urbanização em torno dos córregos está com 41% do estágio concluído. O Ministério das Cidades afirma que a obra é executada pela Prefeitura. O conjunto habitacional tem investimento de R$ 1,057 milhão e o projeto de urbanização, R$ 81,510 milhões.

Mobilidade urbana

Campo Grande, segundo o Ministério, integra três projetos na Secretaria Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana. A “Implantação de corredores exclusivos de ônibus – elaboração de projetos”, está 94,9% executados. Na mesma obra, um segundo projeto prevê a etapa de execução. Serão corredores exclusivos para ônibus no Sudoeste, Sul e Norte da Capital, segundo o Ministério.

Já na área de pavimentação, Campo Grande integra o projeto de “Drenagem e Pavimentação do Complexo Imbirussu/Segredo”, obra que, de acordo com o Ministério, está com 21,2% do projeto executado.

O que diz o site do PAC

A última atualização do site do PAC foi dia 30 de junho. No portal, ainda assim, Campo Grande aparece integrando 60 projetos. Confira a lista:

Infraestrutura energética

A estação de energia “LT 230 kV Paraíso 2 – Campo Grande 2 C2 – MS” aparece no site como um projeto de Campo Grande, Cassilândia e Chapadão do Sul. A empresa executora, de acordo com o portal, é a Paraíso Transmissora de Energia. A obra consta como ‘em licitação’, mas não teve o valor previsto divulgado em razão do RDC (Regime Diferenciado de Contratação).

Saúde

Ná área da saúde pública, sob responsabilidade da Prefeitura, o PAC abrange duas UPAS, 9 UBSs e 4 ampliações de UBSs.

Infraestrutura urbana

Além da urbanização do complexo Imbirussu/Segredo, de acordo com o site do PAC a Capital faz parte do projeto “Pavimentação e Qualificação de vias urbanas do Complexo Lagoa/Anhanduí 1ª Etapa”. A obra tem o Município como executor e não teve o valor de orçamento previsto divulgado em razão do RDC.

Ernesto Geisel, um dos locais onde corre o Anhanduí (Luiz Alberto)

Outro projeto, de acordo com o site, é a construção de duas Praças. No âmbito do Ministério da Cultura, os projetos também têm a Prefeitura como executora e são avaliados em R$ 8,297 milhões.

Ambicioso, outro projeto que consta no PAC é o “Saneamento integrado e urbanização – Córrego Lagoa – drenagem, pavimentação, parques lineares e obras de arte”. O site afirma que o investimento é de 2007 a 2010, previsto em R$35, 037 milhões. No portal, o PAC afirma que a obra está em andamento.

Também integrando projetos de pavimentação, está o de “Drenagem urbana sustentável no Complexo Anhanduí, Cabaça e Areias”. O investimento previsto é de R$74,044 milhões. O site afirma que o projeto está em obras, tendo o Município como Executor.

O PAC também afirma que Campo Grande está na lista para “Aquisição de equipamentos para CCO de gestão integrada”. O valor não foi divulgado e a licitação, de acordo com o site, funciona no sismte RCD. Campo Grande inaugurou o CCO (Centro de Controle Operacional) em junho de 2015.

O anel rodoviário ainda consta no site. Na BR-262 – saída para Aquidauana -, o projeto é avaliado em R$ 34 milhões. Em agosto o senador Waldemir Moka (PMDB) afirmou que iria liberar R$ 15 milhões para a construção, que pretende ligar as BRs 060, 163 e 262, em dez quilômetros pavimentados.

Educação

Outra obra é referente à construção de quadras esportivas e de coberturas de quadras em escolas. Nas mãos do governo do Estado consta uma cobertura de quadra e dois projetos de construção de quadras. O site do PAC afirma que as obras estão em construção e são avaliadas em R$1,310 milhão.

A Prefeitura também está nessa lista: são 4 projetos, três de coberturas de quadras e um de construção de quadra. Sem valores divulgados e declarados como ‘ação preparatória’, o site afirma que as obras terão a licitação em RCD.

Além das quadras, o PAC afirma que a Capital tem 19 creches para serem construídas. O site declara que 16 estão em obras, todas sob execução do município, somando, juntas, investimento previsto em R$22,336 milhões. Outras três, de acordo com o site, ainda não começaram.

A Caixa Econômica Federal revelou que a Capital tem R$ 497 milhões parados porque a Prefeitura está ‘com o nome sujo’. O prefeito eleito Marquinhos Trad declarou que o motivo é a falta de investimentos em contrapartidas.

Alcides Bernal (PP), o atual prefeito, justifica que Campo Grande acumula uma dívida de R$ 12,5 milhões com a União, por falta de pagamento do Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) entre os anos de 2002 e 2006, nas gestões de André Puccinelli e Nelson Trad Filho que atualizada, já passa de R$ 36 milhões.

A Prefeitura foi questionada sobre as obras que constam no site do PAC. O jornal Midiamax perguntou quais estão em andamento, quais foram concluídas e quais estão suspensas, mas até o fechamento dessa matéria não obteve resposta.

Jornal Midiamax