Cotidiano

Movimento ‘desocupa’ é denunciado ao MPF por agressões a estudantes

Vídeo mostra professor agredindo alunas na UFGD

Midiamax Publicado em 12/11/2016, às 19h59

None
ufgd_ocupada_1.jpg

Vídeo mostra professor agredindo alunas na UFGD

Após a decisão judicial que determinou a desocupação dos Câmpus I e II da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) em Três Lagoas, os estudantes deixaram a Universidade. Uma denúncia protocolada no MPF (Ministério Público Federal), no entanto, pede que a procuradoria investigue os movimentos chamados de ‘desocupe já’.

A ação foi protocolada pelo CAAP-DF (Coletivo de Advogados e Advogadas Populares do Distrito Federal), UNE (União Nacional dos Estudantes), Ubes (União brasileira dos estudantes secundaristas) e outras entidades civis na PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão).

Eles pedem que se investigue as práticas de racismo, manifestação de ódio, ameaça de violência sexual, violência física, exercício arbitrário das próprias razões e outras violações em ocupações de todo país. A representação pede que o MPF investigue entidades como o MBL (Movimento Brasil Livre), DL (Distrito Liberal), ILCO (Intituto Liberal do Centro-Oeste) e demais entidades.

“À frente do movimento “Desocupa já”, esses agrupamentos estão se valendo “da violência física e psicológica, por meio das redes sociais, aplicativos e presencialmente para criar instabilidade emocional, praticar terrorismo psicológico, instalar um ambiente de confronto e perigo à integridade física de crianças, adolescentes e jovens nas escolas e universidades, assim como cerceando e coagindo o livre exercício de seus direitos políticos”, afirma o Coletivo de Advogadas e Advogados Populares do DF.

Na ocupação da UFMS em Três Lagoas, uma das estudante relatou ao jornal Midiamax que uma aluna foi chamada de ‘macaca’ por grupos contrários à ocupação. Em Dourados, na UFGD, um vídeo circula nas redes sociais mostrando um professor da Universidade que retira a faixa que anuncia a ocupação, agride estudantes e chama uma delas de ‘puta’.

Confira o vídeo:

Associação Pátria Brasil

A desocupação da UFMS foi resultado de ação civil pública protocolada pela Associação Pátria Brasil. Eleito para o cargo de vereador em Campo Grande este ano, Vinicius Siqueira (DEM), é o presidente nacional do movimento. A decisão que acatou o pedido foi juiz Rodrigo Boaventura Martins, da justiça federal de Três Lagoas.

Vinicius afirmou que a Associação também protocolou pedidos para desocupar a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande e a UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) em Dourados.

Jornal Midiamax