Cotidiano

Moradores do Parati protestam contra ‘domínio da bandidagem’ na região

Moradores reclamam da falta de patrulhamento

Thatiana Melo Publicado em 11/08/2016, às 11h30

None
6f3e5f05-edd0-4a3b-bd31-9d0ea0f8ea64_1.jpg

Moradores reclamam da falta de patrulhamento

Revoltados com a falta de segurança, um grupo de moradores do Bairro Parati, em Campo Grande se reuniu na manhã desta quinta-feira (11) para fazer um alerta e chamar a atenção das autoridades sobre a situação do bairro.

Os moradores reuniram-se na praça central do bairro e afirmaram que o número de assaltos e estupros na região é muito alto, “Quando tem uma ocorrência a polícia demora para chegar. Queremos que seja instalado no bairro um videomonitoramento como existe em outros bairros da cidade”, fala Maicon Silva, de 32 anos, comerciante e morador do bairro.

O comerciante ainda explica que o totem, que ficava na Rua da Divisão e foi retirado, inibia a ação dos bandidos. O técnico de informática, Vanderlei Shinaide, de 32 anos, morador do Bairro Jardim das Nações, explica que na região dele, os assaltos ocorrem durante o dia, já no Parati são durante a madrugada.

Depois de morar por 28 anos em São Paulo e se mudar há três anos para o Parati, a consultora de vendas, de 45 anos, que não quis se identificar, fala que nunca foi assaltada na capital paulista, “Já fui assaltada aqui em um ponto de ônibus e minha casa já foi arrombada”, explica.

Os moradores criaram três grupos no WhatsApp, que contam com mil integrantes, para fazerem alertas sobre possíveis situações perigosas e suspeitas de roubos na região. A intenção da manifestação foi alertar e tentar achar uma solução para o problema do bairro, que segundo os manifestantes está insustentável.

Jornal Midiamax