Cotidiano

Lei incentiva empresas a instalarem bicicletários públicos na Capital

Empresas ganham espaços para publicidade em troca

Joaquim Padilha Publicado em 09/08/2016, às 13h45

None
bicicletarios.jpg

Empresas ganham espaços para publicidade em troca

Uma nova lei sancionada pelo prefeito Alcides Bernal (PP) nesta terça-feira (9) pretende incentivar a prática do transporte sustentável em Campo Grande. O "Projeto Adote um Bicicletário" incentiva empresas a custearem a instalação, manutenção e reforma de bicicletários públicos da Capital, em troca de receberem espaço para veiculação de publicidade gratuita.

O projeto de lei foi desenvolvido pelos vereadores Ayrton Araújo (PT) e Eduardo Romero (Rede). Segundo o texto da lei, a ideia é que trabalhadores, estudantes e populares possam se locomover com o uso da bicicleta podendo deixá-la em segurança até o momento de voltar para casa.

No Estado, já há atualmente um sistema estadual de prevenção ao roubo ou furto e comércio ilegal de bicicletas, aprovado por lei no ano de 2015. A falta de um espaço adequado para deixar as bikes desestimula muitos a utilizarem a opção de transporte.

Cada empresa interessada em aderir ao projeto poderá adotar até três bicicletários públicos. A publicidade nos espaços deve ser voltada para fins educativos, culturais, artísticos e informativos, além de promover a cultura e produção regional e respeitar valores éticos e socioambientais.

Outros projetos

Também foi sancionada nesta segunda-feira (9) uma lei que institui o programa “Parceria com Faculdades e Universidades”, que autoriza o poder Executivo a firmar convênios com universidades que mantém cursos de reabilitação na área médica, para que o atendimento aos pacientes em reabilitação possa ser realizado pelos alunos desses cursos, com a devida orientação de professores.

Outra lei aprovada obriga as escolas da rede municipal a incluírem em seus conteúdos programáticos, dicas de combate a proliferação do mosquito aedes aegypti. A elaboração de material didático sobre o assunto ficará a encargo da Semed (Secretaria Municipal de Educação), que também deverá criar uma Semana de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti e promover a capacitaçaõ dos professores para prepará-los para o tema.

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax