Cotidiano

Ipê é plantado na UFMS em homenagem ao repórter que morreu de aneurisma

Familiares e amigos participaram do tributo

Midiamax Publicado em 17/12/2016, às 15h17

None
15554937_1202368909854783_1387877625_n.jpg

Familiares e amigos participaram do tributo

Com vozes embargadas, olhos avermelhados e umedecidos pelas lágrimas que teimavam em escorrer demonstrando ao mesmo tempo tristeza, provocada pela perda da companhia, e alegria pelos momentos compartilhados, familiares e amigos participaram na manhã deste sábado (17), de uma homenagem em memória ao jornalista Michel Lorãn Ribeiro, de 25 anos, que morreu no dia 21 de outubro, vítima de aneurisma cerebral. 

Maisa Kueller Ribeiro Amaral, de 43 anos, mãe de Michel, exibia em uma placa com a frase: "Depois da morte e ressurreição das sementes, a flor é a recompensa". A citação está grifada no último livro lido por Michel e casa perfeitamente com o tributo preparado pelos amigos, que plantaram um Ipê amarelo, em forma de expressão do carinho sentido pelo jornalista. 

"Quando me falaram que plantariam uma árvore em memória dele, na hora me lembrei da frase que estava marcada no livro. Apesar da dor e da saudade que sentimos, cada homenagem é gratificante. Para mim este é mais um momento de relembrar os momentos vividos e sentir a presença dele que é viva assim como essa árvore que ainda vai crescer e florescer simbolizando a vida", declara. 

A árvore foi fixada no corredor do laboratório de telejornalismo da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), onde ele cursou a faculdade. Caloura e amiga de Michel, a jornalista Amanda Bogo, de 23 anos, diz que a ideia surgiu em um grupo de WhatsApp formado por ex-acadêmicos.

“Uma colega comentou sobre a homenagem, mas a ideia ficou parada, então, pedi ajuda para o coordenador do curso para colocá-la em prática. Eu não tive a oportunidade de ir ao velório e para mim isso é muito simbólico. É uma forma de me despedir e também eternizar a memória do Michel próximo do laboratório de telejornalismo, área que ele escolheu para atuar”, explica. 

Avó falou com carinho do neto com quem moravaCoordenador do curso de Jornalismo na UFMS, e ex-professor de Michel, Marcos Paulo da Silva, ajudou o grupo de ex-acadêmicos e deu início à homenagem.

Emocionados, a mãe do jornalista, ex-colegas de turma e de trabalho também fizeram questão de falar um pouco sobre ele. 

Nas declarações algo em comum, o carinho de todos pelo jovem que deixou saudades por sua personalidade. 

Michel era correspondente de uma emissora regional e morava em Corumbá com a avó, Matilde Kueller Ribeiro, de 66 anos.

“Eramos dois briguentos. Ele era uma criança grande, meu  grande companheiro e fiquei sozinha em casa, mas tivemos tempos gostosos de alegria, amor e de muita união. Agora ele está com Deus”, afirma a avó emocionada. 

O jornalista passou mal no dia 19 de outubro e foi encontrado  pela avó. Michel estava desacordado e foi levado para um hospital, porém, devido à gravidade do caso foi transferido para a Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande onde morreu três dias depois

Homenagem foi feita próximo do laboratório de telejornalismo da UFMS

Jornal Midiamax