Cotidiano

Idoso com pneumonia espera há cinco dias por vaga em UTI hospitalar

Não há vaga na rede pública de Campo Grande

Midiamax Publicado em 24/06/2016, às 12h19

None
_mg_9919_interna.jpg

Não há vaga na rede pública de Campo Grande

Com pneumonia, aos 65 anos, Carlos Cristaldo Rivaroli espera há cinco dias por leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Segundo familiares, o idoso foi levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Jardim Leblom, com dificuldades respiratórias e até a manhã desta sexta-feira (25) não há previsão de vaga na rede pública de Campo Grande.

Técnica de enfermagem e filha do paciente, Carla Azuaga, de 27 anos, lamenta a situação. "Estamos muito abalados, minha mãe é idosa, meu pai também e está internado. Trabalho na saúde e sei que é muito complicada a questão de leitos. Está tendo muita procura por internação, não é fácil. Estamos perdidos, não temos o que fazer", declara.

Nessa quinta-feira (22), a equipe de reportagem do Jornal Midiamax divulgou o caso da idosa Mariana Felícia de Souza, de 80 anos, diagnosticada com pneumonia. Ela está desde segunda-feira (20), em como induzido, esperando por leito. Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura afirma que a liberação de vagas depende da rede hospitalar.

A assessoria de comunicação diz ainda que a partir do momento que o médico indica transferência para internação hospitalar, a Central de Regulação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) aciona os hospitais públicos de Campo Grande, incluindo os conveniados com o SUS, solicitando vaga e que o paciente é transferido conforme disponibilidade de leito.Idoso com pneumonia espera há cinco dias por vaga em UTI hospitalar

Questionada a respeito da falta de leito em UTI, a assessoria de comunicação da SES (Secretaria de Estado de Saúde) afirma que o governo do Estado está trabalhando para disponibilizar mais vagas e reestruturar o sistema de saúde.

Conforme registros da SES desde 2015 foram disponibilizados 20 leitos (10 no Hospital Regional e 10 na Maternidade Cândido Mariano) dos 50 que serão incrementados nas unidades hospitalares.

Ainda segundo as informações, novos leitos serão entregue a Santa Casa de Campo Grande, o Hospital do Câncer e Hospital Universitário, no entanto, a data não foi divulgada.  

Jornal Midiamax