Cotidiano

Hospital de Câncer de Barretos precisa de R$ 350 mil por mês para não fechar

Unidade aguarda convênio com Estado e Município 

Clayton Neves Publicado em 30/06/2016, às 20h25

None
a21eda9a-5892-45b0-88e1-38a13eb9ce53.jpg

Unidade aguarda convênio com Estado e Município 

Sem poder contar com doações que mantiveram a instituição durante dois anos e com um custo operacional de R$ 350 mil por mês, a unidade do Hospital de Câncer de Barretos em Campo Grande, especializada no diagnóstico de câncer de mama e de colo de útero, pode deixar de atender na Capital.

Na tarde desta quinta-feira (30) a diretoria do hospital se reuniu com autoridades públicas na Assembleia Legislativa para debater a situação. De acordo com Flávia Carvalho, diretora administrativa da unidade, o hospital passa por um momento difícil, já que não conta mais com as doações de antigos parceiros e, até o momento, não tem credenciamento nos serviços das secretarias municipal e estadual de saúde.

“No primeiro ano nos mantivemos com doações da família Moraes, no segundo Barretos que é a matriz nos custeava por meio da filantropia, agora não estamos tendo nenhum repasse”, explica.

Para dar um fôlego financeiro e evitar que as portas da unidade não fechem, a diretoria da unidade aguarda aprovação de credenciamento da Prefeitura e do Governo do Estado que autorizaria repasse de R$ 120 mil à instituição.

“Estamos em um impasse por questões burocráticas, aguardando aprovação do conselho municipal de saúde. Se for viabilizado, garantimos o repasse de R$ 60 mil da Prefeitura e outros R$ 60 mil do governo”, diz.

A diretora relata que espera que até a próxima segunda-feira, dia 4, o conselho municipal de saúde dê um posicionamento sobre a aprovação e, se positivo o parecer, contratualize o credenciamento.

Mesmo que o custo mensal seja de R$ 350 mil, Flávia afirma que os R$ 120 mil não. “A diretoria do hospital já conta com este déficit, mas é mais fácil correr atrás de uma parte do déficit pela filantropia do que ter que correr atrás do valor integral, até porque sem esta ajuda existe a possibilidade do fechamento da unidade”, conclui.

Atualmente o Hospital de Barretos atende 50% da população sul-mato-grossense, com uma média de 400 atendimentos por dia.

Jornal Midiamax