Cotidiano

Hora do Planeta: Capital apaga luzes públicas durante uma hora no sábado

Caminhada e pedalada também marcam o evento

Kemila Pellin Publicado em 15/03/2016, às 21h29

None
20160315155715.jpg

Caminhada e pedalada também marcam o evento

Campo Grande também vai aderir ao movimento global contra as mudanças climáticas no mundo, junto com outras 95 cidades. O ato simbólico de apagar a iluminação pública por sessenta minutos acontece entras às 20h30 às 21h30 na Capital. A ideia é propor uma reflexão sobre a questão ambiental, os desafios impostos pelas mudanças climáticas e conscientizar a população sobre as consequências do aquecimento global.

A Hora do Planeta é um evento promovido pela WWF e tem como tema os impactos do aquecimento global e os resultados das mudanças climáticas. A Prefeitura de Campo Grande por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) participará do ato simbólico, desligando a iluminação do Obelisco, homenagem aos fundadores da cidade; da Praça das Araras, o Carro de Boi no Horto Florestal e a Central de Atendimento ao Cidadão – CAC.

Também serão realizados shows de artistas regionais, sorteio de brindes, caminhada aberta ao público e passeio ciclístico na concha acústica do Parque das Nações Indígenas, nos altos da avenida Afonso Pena, a partir das 19h. O músico Jerry Espíndola também participa do evento.

Educadores e alunos vinculados aos Centros de Educação Ambiental da Semadur, que realizam atividades de preservação ambiental e sustentabilidade, irão participar de uma caminhada. O SESC de Campo Grande irá ceder bicicletas ecológicas, produzidas com cerca de 500 garrafas pets para utilização daqueles que quiserem fazer um passeio ciclístico no parque.Hora do Planeta: Capital apaga luzes públicas durante uma hora no sábado

“Para o WWF-Brasil, a Hora do Planeta é um momento único de mobilização. A cada ano, envolvemos um número maior de representantes de diversos segmentos da sociedade em uma grande reflexão, não só sobre o aquecimento global, mas também sobre a adoção de novos hábitos e maneiras de se relacionar com o meio ambiente”, afirma o secretário-geral do WWF-Brasil, Carlos Nomoto.

A iniciativa do WWF-Brasil tem apoio do Instituto Mamede, Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), Banco do Brasil, Rede de Economia Solidária (Rede Ecosol), Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal, Secretaria Estadual de Educação (SED), Secretaria Municipal de Educação (Semed), Comissão de Meio Ambiente da OAB (COMAM), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul (FCMS), Fundação de Turismo do MS (FUNDETUR), Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (IMASUL), Fecomércio, Governo do Estado, Comando Militar do Oeste (CMO), Rádio Blink, Rádio TVE, UCDB, entre outros parceiros locais.

Jornal Midiamax