Cotidiano

Governo vai testar máquina americana que promete matar fêmea do Aedes

Produto ficará em teste por quatro semanas

Midiamax Publicado em 22/02/2016, às 15h20

None
_mg_8491.jpg

Produto ficará em teste por quatro semanas

Já imaginou uma máquina capaz de capturar a fêmea do Aedes aegypti, transmissor da tríplice epidemia, dengue, chikungunya e zika vírus, doenças que têm preocupado as autoridades de saúde de Mato Grosso do Sul? Nesta segunda-feira (22), duas máquinas importadas dos Estados Unidos da América, foram apresentadas na Coordenadoria Estadual de Controle de Vetores.  Os equipamentos serão testados em Campo Grande.

De acordo com o coordenador Estadual de Controle de Vetores, Maurício Lúcio Rosário, as máquinas serão testadas a partir desta terça-feira (23), possivelmente no Cabreúva. “Vamos colocar em um local estratégico que apresentou maior foco nos três últimos resultados de infestação”, afirma.

Questionado sobre a possibilidade de o Estado adquirir o equipamento, o coordenador Estadual de Controle de Vetores, não descarta a possibilidade, mas destaca que a aquisição ainda será analisada de acordo com os resultados. “Após análise, se for eficaz, o governo poderá adquirir”, afirma.

Rosário ressalta que as máquinas não serão capazes de solucionar o problema e que servem como mais um meio de prevenção. “o que resolve é a eliminação do foco do mosquito, mas é uma ação paliativa que ajuda”, observa.

As máquinas foram apresentadas pela gestora de projetos inovadores do Instituto Seiva Brasil, Gracita Santos Barboza. Segundo ela, o Mosquito Magnet Executive Trap, abrange 4 mil m² (metros quadrados). O equipamento reproduz o ácido láctico, substância exalada no suor e que atrai o mosquito, como mostra o VÍDEO.

“A máquina reproduz a substância exalada no suor, atrai o mosquito e o prende. É sustentável e não causa impacto ecológico e nem danos ao homem”, garante. A máquina funciona com quatro pilhas alcalinas médias com durabilidade de 30 dias e botijão. O manejo do equipamento deve ser feito por técnicos especializados e a limpeza da máquina deve ser realizada por um agente de saúde.

A segunda máquina apresentada, Flying Insect Trap, como mostra o VÍDEO,  tem capacidade de atrair e capturar o vetor em um raio de 100 metros. “Esta máquina emite uma vibração ouvida apenas pelo mosquito fêmea e tem uma lâmpada ultravioleta que o atraí e o prende. É indicado para uso doméstico”, orienta. 

Os valores dos equipamentos não foram divulgados, no entanto, o Flying Insect Trap pode ser comprado por aproximadamente R$ 600,00. De acordo com a gestora de projetos inovadores do Instituto Seiva Brasil, o objetivo é conseguir a isenção de impostos de importação das máquinas.

“Está sendo trabalhada a utilidade pública das máquinas para que se baixe aproximadamente 40% da carga tributária”, explica. As máquinas serão testadas por 30 dias.

Gracita afirma que os equipamentos já foram testados em Campinas, Maceió (AL), Recife (PE) e Valinhos (SP) e na Ilha de Caras, localizada em Angra dos Reis (RJ).

No momento não há equipamentos disponíveis, no entanto, a estimativa é de que nos próximos 10 dias 2.700 produtos estejam disponíveis para compra.  

Jornal Midiamax