Cotidiano

Conselhos de saúde pedem que MPF resgate recursos da saúde de MS

Representantes afirmam que dinheiro está parado

Midiamax Publicado em 06/08/2016, às 15h04

None
img-20150128-wa0025.jpg

Representantes afirmam que dinheiro está parado

Os Conselhos Municipais de Saúde de Campo Grande e macro-regiões Dourados, Três Lagoas e Corumbá se reúnem para encaminharem um ofício ao MPF (Ministério Público Federal) nesta semana solicitando o bloqueio ou o resgate dos recursos encaminhados pelo Ministério da Saúde ao Governo do Estado que estão parados, sem investimento.

O coordenador da mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde Sebastião Junior disse ao Jornal Midiamax que um dos objetivos da ação é sugerir que a Justiça 'pegue de volta' o percentual determinado por lei que não foi investido e encaminhe diretamente aos municípios.

“Estava programado no Plano Estadual de Saúde a construção dos hospital regionais de Dourados e Três Lagoas, ou seja, estavam no orçamento. E o MPF pede para que o Estado pague o percentual que não investiu em 2013, em torno de R$ 370 milhões, conforme determina a legislação. A mesma falta de investimento se repetiu por 2014 e 2015 e independente de quem está no governo hoje, o Estado deixou de investir, por exemplo, a falta de leitos hospitalares no interior do Estado, que prejudica diretamente Campo Grande”, explica.

Sebastião ressalta o lançamento da pedra fundamental para construção dos hospitais, durante o governo anterior e pontua que o recurso estava programado no orçamento. “Para onde foi esse dinheiro? Em 2016, o secretário de Estado disse que investiu na saúde, mas onde ele investiu? Então queremos, que a Justiça bloqueie esses recursos, tire da mão do Estado e passe para que os municípios executem”, finalizou.

Antes de reunião, Conselho de cada município envolvido junta documentos para embasar o pedido à Justiça.

O Jornal Midiamax solicitou posicionamento à assessoria de Imprensa do Governo do Estado e aguarda retorno.

Jornal Midiamax