Cotidiano

Concessionária na avenida Costa e Silva tinha ‘gato’ de energia

Em média estavam sendo desviados 11000 Kwh/ mês.

Ana Paula Chuva Publicado em 05/04/2016, às 21h19

None
fiatfoto.jpg

Em média estavam sendo desviados 11000 Kwh/ mês.

Vistoria feita pela empresa Energisa na tarde de hoje, (05), em um dos prédios da concessionária Fiat Enzo que fica localizado na Avenida Costa e Silva, identificou um desvio de energia de 11000 Kw/ mês. No local estavam 3 carros da empresa Energisa, 1 carro da Polícia Civil e 1 carro da perícia da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

O desvio acontecia em 3 fases, o que implica no faturamento parcial do consumo. Em média estavam sendo desviados 11000 Kwh/ mês, os funcionários da Energisa não souberam estimar esse valor em reais, pois o cálculo se baseia em vários fatores determinados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A policia vai investigar a origem do desvio, pois a empresa alegou não saber da existência do “gato”, por isso precisam apurar para saber a origem e quem será responsabilizado pelo crime de furto de energia. “Não podemos ainda falar em indiciamento, mas existe sim um crime de furto de energia mas precisamos apurar os dados que a energisa nos repassará, pois existe a possibilidade do “gato” ter sido feito pelo dono do prédio que alugou para a empresa que diz desconhecer o problema”, afirmou Célia Maria Bezerra da Silva, delegada do 4º Distrito Policial

Segundo o Supervisor de campo da Energisa, a empresa fez o procedimento para que não haja mais desvio. E que esse problema é antigo, pois ele estava por dentro da parede do prédio. É a primeira vez que eles fizeram a vistoria ali, e a central identificou o local para fazerem a inspeção e lá eles encontraram o desvio e acionaram a policia, para que fosse feita a perícia.

No boletim de ocorrência registrado na delegacia, a empresa explicou que não sabia sobre o 'gato' porque "o Show Roon de veículos está desativado há cerca de 01 ano e os elevadores de veículos desde fevereiro deste ano". Neste tipo de desvio o consumo não é registrado pelo medidor, e eles pagam apenas parte do consumo. No geral 7% do nosso consumo de energia é desviado, e esse valor acaba sendo acrescido em nossas faturas, o que ocasiona o encarecimento do serviço.

A suspeita vem de uma resolução da Aneel que determina quantidades de consumo médio de acordo com vários fatores dos estabelecimentos, e quando esse valor está muito abaixo, a suspeita é levantada e a vistoria feita. 

Ninguém da concessionária quis falar.

(Sob supervisão de Marta Ferreira)

Jornal Midiamax