Cotidiano

Com aumento de 10% nas queimadas, órgãos lançam medidas emergenciais

Nova resolução foi publicada nesta quarta

Wendy Tonhati Publicado em 03/08/2016, às 14h34

None
reuniao-jaime-verruck-com-ibama-queimadas-2-672x372.jpg

Nova resolução foi publicada nesta quarta

Com um aumento de 10% no número de queimadas, comparados ao ano de 2015, órgãos envolvidos no combate a incêndios vão desenvolver medidas emergenciais e permanentes para a prevenção de incêndios florestais no Estado. De acordo com monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de queimadas e focos de incêndio no Estado passou de 1.381 para 1.518, no período de 1º de janeiro a 1º de agosto. 

Os órgãos do governo do Estado e do governo federal envolvidos no combate a incêndios e entidades do setor produtivo se reuniram na manhã da terça-feira (2), no gabinete da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade).

Ficou definido, ainda, que será restabelecido o comitê interinstitucional de combate a incêndios e transformado numa instância de funcionamento permanente. A nova resolução conjunta Semade-Ibama, foi publicada na página 21 do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (3) e inclui um quarto item ao artigo 3º da resolução anterior, que é a “queima controlada de restos de agropastoris como método de manejo e controle fitossanitário e de vetores”. Além disso, o Imasul deverá investir em ações de educação ambiental e reforçar a atuação em rede. 

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros, até o meio deste ano, Mato Grosso do Sul já registrou 1534 casos, 126% a mais que no ano passado, no mesmo período. Os dados são sistematizados a partir de ocorrências registradas no sistema Sigo (Sistema Integrado de Gestão Operacional) e revelam que a Capital teve 444 focos de queimada, registrados no dia 1 de janeiro até o dia 31 de julho. Em 2015, no mesmo período, foram 275 ocorrências. O aumento foi de 68%.

Jornal Midiamax