Cotidiano

Cena clássica: gatinho some e bombeiros fazem o resgate

'Fantasminha' estava preso em casa vazia

Daiane Libero Publicado em 23/10/2016, às 13h08

None
2e48dfc2-e115-4d31-a049-2e2cc0ffe206.jpg

'Fantasminha' estava preso em casa vazia

Um gatinho chamou a atenção do Corpo de Bombeiros e da população na manhã deste domingo (23), na Vila Moema, região do bairro dos Rouxinóis, em Campo Grande. Fantasminha ficou preso em uma casa vazia e sua dona, a artesã Elisabeth Reis de Oliveira, de 51 anos, ficou desesperada ao notar que o bichinho não conseguia sair. "Sai ontem de casa e cheguei hoje e senti a falta do gatinho. Escutei ele miando na casa vizinha, não faço ideia de como ele foi parar lá", descreveu ela à reportagem do Midiamax. 

O resgate foi feito em 15 minutos pelo Corpo de Bombeiros, que usou uma técnica para poder passar pela cerca elétrica da casa, que estava acionada. Através de uma escada, conseguiram entrar na residência. Fantasminha estava acuado e muito assustado, e assim que foi resgatado, voltou para sua dona e para sua casa original. O gato tem 1 ano de idade e, segundo sua proprietária, será castrado em breve. 

Segundo a veterinária Maria Paula de Souza, a castração previne fugas como essa, e faz com que os animais fiquem mais calmos dentro de casa, embora o ideal é que eles não saiam. "Na rua os pets ficam sujeitos a muitos perigosos, ainda bem que Fantasminha teve a sorte de ser resgatado, mas outros bichos não tem a mesma sorte. Doenças, atropelamentos e maus tratos podem ocorrer com cães e gatos", analisa. 

Conforme o subtenente Amaral, do Corpo de Bombeiros, casos de resgates de cachorros e gatos em fossas, telhados, casas abandonadas e outros locais, são bem comuns. "Em alguns casos é preciso usar enforcador ou rede de captura. No caso do Fantasminha não foi preciso por o animal é manso", descreveu. 

Jornal Midiamax