Cotidiano

Votação de conselheiros tem filas longas e muita reclamação na Capital

Eleição é realizada neste domingo (4)

Evelin Cáceres Publicado em 04/10/2015, às 15h59

None
img-20151004-wa0034_1.jpg

Eleição é realizada neste domingo (4)

A votação para escolha dos 15 conselheiros tutelares de Campo Grande que acontece neste domingo (4) está provocando tumulto nas escolas por falta de organização. Segundo as pessoas que participação da votação, a espera pode durar até duas horas.

Outro problema relatado é a falta dos nomes da escola que seria a zona eleitoral. Lincon Bordado, de 71 anos, está a caminho da terceira escola para ver se o seu nome consta no local para que ele possa votar.

A votação por cédula também é uma das causas da demora. Na Escola Santos Dumont, na Vila Palmira, mais de 50 pessoas aguardam o momento da votação.

Laís Bordado, de 32 anos, passou 20 minutos no local e viu muita gente desistir de votar só ao ver a fila. “São três mesários e uma única urna na sala. Até agora a fila não andou”, reclamou.

Renildo Batista, de 58 anos esperava há uma hora e meia. “Não tem como atender gente de 20 bairros. É um absurdo”.

A equipe de trabalho da Prefeitura que estava no local informou que o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) não liberou as urnas eletrônicas para a votação e que, por segurança, eles escolheram utilizar as cédulas.

A pouca quantidade de seções, 31 ao todo, se deve também a autorização do Tribunal, que estipula quantas devem ser liberadas, segundo informou a Prefeitura. 

Jornal Midiamax