Cotidiano

Vigilância em Saúde admite surto de raiva em Corumbá

Até o momento seis casos já foram confirmados no município

Midiamax Publicado em 08/04/2015, às 15h38

None
raiva-_diario_corumbaense.jpg

Até o momento seis casos já foram confirmados no município

A vigilância de Saúde de Corumbá, a 44 quilômetros de Campo Grande, admitiu surto epidêmico de raiva no município. Até o momento seis casos já formam confirmados e não está descarta a possibilidade de outras notificações.

Segundo a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, a doença foi detectada em diferentes regiões do município. “Considerando que os casos foram registrados em áreas diferentes e abrangentes da cidade, trata-se de um surto epidêmico de raiva. Com isso, as ações iniciais de vacinação, de bloqueio de foco, de recolhimento de animais não domiciliados, permanecem de maneira intensificada”, afirma.

Os casos foram detectados em cães encontrados nos bairros Aeroporto, Cristo Redentor, Universitário, Guanã II e em um bovino, no assentamento Tamarineiro II. O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) recebeu outros três animais com sintomas da doença e aguarda exame laboratorial para informar se eles também estão infectados.

No caso do bovino, diagnosticado com a doença, a gerente de Vigilância em Saúde, diz que as medidas necessárias já foram adotadas. “O caso de raiva bovina foi comunicado no mês de março e já realizamos todas as ações de saúde no local. Fizemos a busca ativa das pessoas que tiveram contato com esse animal. São seis pessoas recebendo profilaxia. Também já realizamos a vacinação de cães e gatos daquela localidade”, assegura.

De acordo com a veterinária do Comitê de fronteiras e chefe do CCZ, Wlaquíria Arruda da Silva, devido ao surto, o Comitê será reativado. Ela explica que a Bolívia, país que faz fronteira com o município, não possui os equipamentos necessários para a detecção da doença e que os animais que apresentarem os sintomas serão levados para o CCZ de Corumbá.

“Na semana passada fomos à Bolívia, pois temos um acordo em relação à raiva. Conversamos com o pessoal da saúde de lá, repassando os casos que temos aqui e estamos planejando ações em comum acordo. O País não possui equipamentos para essa detecção e os casos suspeitos de lá são encaminhados aqui para o CCZ”, esclarece.

Até o momento aproximadamente oito mil animais, incluindo cães e gatos receberam a dose de imunização contra a raiva. As vacinas foram aplicadas nos bairros onde os casos foram confirmados. A estimativa é de que neste ano 20 mil animais recebam as doses.

Jornal Midiamax