Cotidiano

‘Trauma da Júlio de Castilho’: Vilas Boas torce pelo reordenamento

Mudanças devem ser concluídas até sexta-feira (3)

Thatiana Melo Publicado em 01/07/2015, às 13h43

None
_mg_2856_copy.jpg

Mudanças devem ser concluídas até sexta-feira (3)

A Vila Vilas Boas não é a primeira região a ter o reordenamento viário feito, por causa do grande fluxo de veículos e congestionamentos causados em horários de pico. A Avenida Júlio de Castilho alvo de muitas reclamações de moradores teve sua revitalização concluída em 2014, mas o que era para melhorar o trânsito da região acabou causando transtornos para quem usa a via, como os estacionamentos na avenida, que atrapalham o fluxo de veículos.

Com problemas parecidos de congestionamentos em ruas estreitas, complicando o trânsito, principalmente, com carros estacionados em lugares proibidos deixando moradores revoltados, a Vila Vilas Boas, deve ter o reordenamento viário concluído até esta sexta-feira (3), pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

A professora, de 50 anos, Maria Donizete, moradora da Rua São Félix, a mais ‘complicada’ via da região, afirma que já teve de esperar por mais de duas horas para poder sair de casa, por causa de um veículo estacionado em sua garagem. “A rua é muito estreita, e as pessoas não respeitam, estacionam dos dois lados da via”, fala a professora que gostou das mudanças feitas.

“Agora vai ficar muito melhor para quem mora aqui na região”, diz Maria Donizete. O comerciante Edilei de Moura Pereira, de 36 anos, proprietário de um restaurante na Rua Santana explica que para o comércio, especialmente o dele, que é de esquina, a mudança não é muito boa, mas de modo geral afirma que é muito bem-vinda. “A mudança é boa porque as ruas são muito estreitas, e já presenciei muitas brigas na esquina do meu estabelecimento de motoristas querendo ter a preferencial”, diz.

Já o reordenamento das vias para outros moradores vai causar certo transtorno, como fala Cristiane de Farias, de 46 anos. “Agora vou ter que estudar outra maneira de entrar e sair de casa, já que a minha rua virou mão única”, ressalta.

Outro morador que terá de se adaptar, é o aposentado Nelson Faria, de 71 anos. “A mudança é boa e não tenho do que reclamar. A gente acaba se adaptando”, fala.

As ruas que já tiveram a mudança de mão são Rua São João que passa a ter sentido único centro/bairro, Antônio Dias Adorno e a próxima a ter a mudança concluída é a Rua Armando Cunha. De acordo com informações do chefe de Divisão de Sinalização, Edson Côrrea, até a próxima sexta-feira (3) as mudanças devem ser concluídas, caso não ocorra nenhum imprevisto.

A última rua mais ‘problemática’ segundo os moradores, a São Félix, deve ter sua mudança concluída na sexta-feira. De acordo com informações da assessoria de comunicação da agência durante este período de reordenamento do trânsito, os agentes estarão no local para auxiliar motoristas e pedestres quanto às mudanças.

Jornal Midiamax