Cotidiano

Privatizada, BR-163 tem redução de um terço no número de mortos em acidentes

Quantidade de acidentes também diminuiu

Midiamax Publicado em 15/10/2015, às 19h59

None
_mg_4782_interna_-_1.jpg

Quantidade de acidentes também diminuiu

A quantidade de mortes em acidentes na BR-163 em Mato Grosso do Sul diminuiu um terço no período de outubro 2015/2014 em comparação a mesmo intervalo anterior (2014/2013), segundo balanço de um ano de operação divulgado nesta quinta-feira (15) pela Concessionária CCR MSVia, que administra o serviço. Desde a privatização da rodovia, a redução chegou a 32,6%.

De acordo com o levantamento a redução foi de 92 para 62 no número de mortos. Mesmo cenário foi verificado na quantidade de acidentes com mortes, que passaram de 65 para 46, queda de 29%.

As equipes do SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário), que começaram as operações em 11 de outubro do ano passado, registraram deste então 136 mil ocorrências na BR-163, uma média de 370 registros ao dia. Destes, atendimentos em acidentes foram 2.799.

Quanto ao pedágio na via, que começou  o gestor de atendimento Fausto Camilotti, comentou que a diminuição nos acidentes e mortes mostram a importância do serviço. “Esses dados mostram como a rodovia pode ser atrativa aos usuários. Nosso objetivo é que eles entendam o lucro e os ganhos por transitar por ela”, ressaltou ele.

O gestor ainda afirmou que a PRF (Polícia Rodoviária Federal) também sentiu a diminuiu das ocorrências. “Nós fazemos atendimento médico, mas também mecânico”. Entre as principais ocorrências atendida pelo SAU está a retirada de objetos da pista, em torno de 30%. Na sequência, os atendimentos de socorro mecânico. Destes, o principal problema é o de pane seca, 16,4% do total.

Na semana que vem, a concessionária vai começar uma campanha que visa mostrar aos usuários como gastar com o pedágio pode ser mais lucrativo que em outras rodovias. “Eles vão gastar menos pagando pedágio. O serviço que fazemos justifica o trabalho. ão vários fatores que mostram como é melhor andar pela BR-163. Houve uma redução nas mortes, melhora nas condições da BR, o tempo que o usuário gasta também é menor. S”, explica ele.

Segundo Fausto, “o objetivo do serviço é que o usuário trafegue pela via sem ter problema, sem ter que parar. Isso vai mostrar para o usuário que é melhor transitar pelas rodovias da BR-163, mesmo pagando”.

Ainda para ter uma viagem mais segura para quem transita na via, a CCR MSVia tem feito campanhas e ações educativas com entrega de folhetos e faixas pela rodovia. Segundo o gestor de interação com o cliente, Kellner Rodrigues, esse tipo de serviço vai diminuir as ocorrências e mostrar como é interessante transitar pela via.

Estrutura

São 17 bases operacionais que fazem o atendimento 24 horas. Em cada base há uma viatura de resgate. No total, são 500 colaboradores, entre eles 259 profissionais de APH (Atendimento Pré-hospitalar), dos quais, 35 são médicos.

Cleber Cunha Clemente é coordenador médico e explicou que há viaturas básicas e avançadas. “Viaturas completas para o atendimento em caso de acidente tem todos os equipamentos necessários a ocorrência. Elas são preparadas para o resgate. Há uma básica intercalada com uma avançada durante o trecho coberto pela concessionária, que tem 17 bases. Cada uma tem capacidade para duas vítimas”, disse ele.

A CCR MSVia ainda conta com 17 guinchos leves, 8 pesados, 11 caminhões de serviço, além de 18 painéis eletrônicos fixos, 17 móveis e 30 antenas de radiocomunicação.

Jornal Midiamax