Cotidiano

Petrobras libera e gasolina já amanhece mais cara em alguns postos da Capital

Postos devem atualizar preço nos próximos três dias

Midiamax Publicado em 30/09/2015, às 12h32

None
img-20150930-wa0019.jpg

Postos devem atualizar preço nos próximos três dias

O litro da gasolina e do óleo diesel ficarão mais caros nos próximos dias em todos os postos de combustível do pais. Na manhã desta quarta-feira (30), a Petrobras anunciou aumento e os valores devem ser atualizados nas bombas nos próximos três dias, conforme estima o supervisor técnico do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul), Edson Lazaroto.

No entanto, em alguns estabelecimentos preços promocionais já foram abandonados e o combustível já amanheceu mais caro para o consumidor.

“É um aumento que estávamos receosos, mas sabíamos que poderia acontecer até por conta dos ajustes do governo. Acreditávamos que isso aconteceria no fim novembro ou início de dezembro. Fomos pegos de surpresa. Agora pela manhã foi confirmado o aumento de 6% na gasolina e 4% no diesel”, declara.

Segundo o supervisor técnico do Sinpetro, até o momento não é possível informar o impacto do aumento para o consumidor final. “Como é um aumento da Petrobras os donos de postos não têm como não repassar esse valor. Se não fizerem isso podem ter os lucros afetados”, justifica.

Lazaroto explica que as atualizações devem ocorrer até o próximo sábado. “Acreditamos que os preços devem ser atualizados nos próximos três dias. As distribuidoras vão repassar a diferença nas notas e apenas partir disso que os donos farão as contas”, frisa.

Na manhã de hoje, ao menos um dos postos de combustíveis visitados pela equipe de reportagem do Jornal Midiamax atualizou o valor nas bombas. Até ontem (29), o litro da gasolina era R$ 3,09 e hoje, R$ 3,29, uma diferença de RS 0,20.

O gerente, que preferiu não se identificar, diz que até o momento, apenas o preço da gasolina foi alterado. Para o cinegrafista Kelpson Gustavo, de 26 anos, a diferença vai pesar no orçamento familiar. “Temos de abastecer, não tem outro jeito. O preço do combustível está variando muito e com o aumento vai apertar o orçamento”, afirma.

Pelas ruas de Campo Grande, é possível perceber que a maioria dos postos de abastecimento ainda não alterou os valores. No posto localizado na Avenida Manoel da Costa Lima, o litro da gasolina é de R$ 3,18 e o diesel R$ 2,95.

O gerente Nilton Figueiredo diz que ainda não alterou o preço nas bombas e que vai tentar manter o preço até o próximo domingo (4). “Ainda não repassamos o aumento, mas até a próxima segunda-feira (5) o aumento será repassado. Estamos esperando um fiscal do Sinpetro para nos informar o percentual de aumento. Vamos tentar segurar até segunda-feira e depois vamos ter de repassar a diferença”, destaca.

O empresário Vinícios Gomes, de 22 anos, diz que já esperava o aumento. “Vamos ter de voltar a andar de bicicleta. Com o aumento do dólar já era previsível que o preço gasolina subiria. O combustível acaba ultrapassando as contas de água e luz. Se somar tudo o salário no fim do mês não dá para nada”, observa.

Este é o terceiro aumento no preço do combustível em 10 meses. No dia 6 de novembro de 2014 a Petrobras anunciou acréscimo de 3 % no preço da gasolina e 5 % no diesel. O segundo ocorreu em janeiro deste ano quando o ministro da fazenda, Joaquim Levy, anunciou o retorno da Cide (Contribuição Sobre Intervenção no Domínio Econômico), tributo regulador do preço de combustíveis, zerada desde 2012 e do PIS/Cofins sobre a gasolina.

Em julho deste ano, poucos meses após o segundo aumento, houve uma redução no preço do combustível. Na ocasião, o Sinpetro justificou que se tratava de promoções realizadas pelos donos de postos a fim de manter a clientela.

Mato Grosso do Sul conta com 560 postos de combustíveis, entre eles, 162 são em Campo Grande. Segundo informações do supervisor técnico do Sinpetro, o etanol também sofreu alterações de R$ 0,12 nas últimas semanas.    

Jornal Midiamax