Cotidiano

Paciente internado com tétano está em estado grave no HU em Campo Grande

Homem nunca tomou vacina antitetânica 

Midiamax Publicado em 28/04/2015, às 14h57

None
img-20150428-wa0063.jpg

Homem nunca tomou vacina antitetânica 

O paciente de 39 anos, internado com tétano no Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), em Campo Grande, está em estado grave. O homem é morador da cidade de Coxim, distante 245 quilômetros da Capital, e veio para a cidade em busca de tratamento adequado. Conforme informações médicas, ele está sedado e respira com a ajuda de aparelhos.  

De acordo com a infectologista Priscilla Alexandrino, que acompanha o caso, o homem trabalhava no campo e teve um ferimento no dedo do pé esquerdo. Em virtude da ferida, parte do dedo precisou ser amputada. O procedimento foi realizado por causa da demora do atendimento médico.

“Parte do dedo estava necrosada já. Tivemos que fazer uma raspagem e limpeza da área. A ferida ficou aberta e a bactéria que causa o tétano entrou no organismo dele por esta ferida” comentou. Segundo a médica, o homem nunca tomou vacina antitetânica.

Familiares do paciente disseram que ele acreditava que a ferida fosse apenas um bicho de pé, e só procurou por um médico depois de dez dias. Neste tempo ele teve febre e dores no corpo, mas os sintomas se agravaram para espasmos e rigidez. Em virtude do quadro de saúde dele não há previsão de alta médica.

Importância da vacina

Por causa do atual esquema de vacinação são raros os casos de tétano em Mato Grosso do Sul e até mesmo no Brasil. A imunização antitetânica é a medida preventiva mais eficiente para combater a doença.

Ainda na infância a criança precisa receber a vacina aos 2,4,6 e 18 meses de vida e depois entre os 5 e 6 anos e 10 e 13 anos. Depois, já na fase adulta a pessoa precisa reforçar a imunização de 10 em 10 anos durante toda a vida. Em Campo Grande as vacinas podem ser encontradas nas unidades básicas de saúde.

Jornal Midiamax