Nas ruas, poucos sabem de escândalo com políticos e empreiteiros

A maioria, 52,5% dos entrevistados, sequer sabem do assunto
| 28/07/2015
- 00:05
Nas ruas, poucos sabem de escândalo com políticos e empreiteiros

A maioria, 52,5% dos entrevistados, sequer sabem do assunto

Pelas ruas de Campo Grande poucas pessoas sabem o que, de fato, é a .Conforme breve levantamento realizado pelo Jornal Midiamax, apenas 17,5% estão por dentro do assunto. A amostragem foi concluída pela reportagem depois de ouvir 40 pessoas no Centro da Capital.

A Operação foi deflagrada pela Polícia Federal, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União) no último dia 9, em Campo Grande, no intuito de desvendar esquema de superfaturamento em licitações e desvio de recursos públicos para beneficiar empreiteiras e políticos de Mato Grosso do Sul.

Ainda com base no levantamento, outros 30% dos entrevistados ouviram falar da investigação, mas a maioria, 52,5% sequer sabia do assunto.

O aposentado Sidney Ramos Garcia, de 52 anos, estava com um jornal em mãos quando falou com a reportagem. Lendo as notícias da página de política, ele garante que acompanha as matérias sobre a operação. Embora esteja desacreditado da Justiça, diz apenas que os políticos envolvidos devem ressarcir os cofres públicos caso seja comprovada a participação deles no esquema.

 

Nas ruas, poucos sabem de escândalo com políticos e empreiteiros

A estudante Josiane alega que está por fora do assunto pelo fato de não ter tempo de acompanhar jornais (Luiz Alberto/Midiamax)

“Não vai dar em nada. Deveriam fazer com que ele devolva tudo, pois com dinheiro eles podem contratar uns seis advogados e saírem em liberdade”, resumiu.

Na versão do engraxate Josias Oliveira, 56, o país precisa passar por uma melhora e operações como a Lama Asfáltica devem ocorrer para ‘limpar’ o Brasil. “Gosto de ler sobre política e vi este assunto sobre o superfaturamento nas licitações. Acredito que o Brasil precise melhorar bastante”, comentou.

Porém, enquanto uns buscam entender mais o caso, outros não querem nem ouvir falar de política. “Não gosto de política, tampouco de políticos. Eles só prometem e não fazem nada”, destacou a vendedora Glauciene Gomes, 29.

Outra trabalhadora, Fernanda Brites, 23, diz que na correria do dia-a-dia não sobra tempo de acompanhar os noticiários e acaba deixando de acompanhar os últimos fatos que envolvem o Estado. “Chego em casa muito cansada depois do trabalho e não tenho nem tempo de ver a televisão”, resumiu.

Nas ruas, poucos sabem de escândalo com políticos e empreiteiros

Sebastiana acredita que envolvimento de políticos em corrupção é um absurdo (Luiz Alberto/Midiamax)

Operação Lama Asfáltica

A Polícia Federal, Receita Federal e a CGU (Controladoria-Geral da União) cumpriu, ao todo, 19 mandados de busca e apreensão para obter detalhes de contratos com um dos maiores empreiteiros do Estado, João Alberto Krampe Amorim dos Santos.

Policiais ficaram trancados por quase cinco horas com João Amorim na residência dele, na Vila Vendas, mas também estiveram em uma das empresas dele, a Proteco Construções Ltda., além de terem passado na residência do ex-deputado Edson Giroto (PR) e na Secretaria de Obras do Estado, que também tinha contratos com Amorim. Ao todo, até o momento, quatro servidores foram afastados do Estado. Entre os investigados, inclusive, está o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB).

Veja também

Últimas notícias