Cotidiano

Marinha intercepta embarcações navegando irregularmente no rio Paraguai

Havia situações de irregularidades em embarcações

Diego Alves Publicado em 04/07/2015, às 01h38

None
i_2.jpg

Havia situações de irregularidades em embarcações

A Marinha do Brasil, através de sua equipe de fiscalização, abordou na noite de quinta-feira (02), duas embarcações – um barco e uma chata – que navegavam ainda próximo à cidade de Corumbá, com destino a fazendas da parte norte do Pantanal. Havia situações de irregularidades, segundo informou o capitão dos Portos do Pantanal, Carlos Rodrigo Cerveira. 

“A embarcação chamada 10 de Março empurrava uma chata de nome Majestade. Nessa chata havia cerca de 40 bois, óleo diesel, gasolina e alimentos, para serem entregues às fazendas da região norte. Essa barcaça, Majestade, não tinha autorização de saída, não poderia estar navegando e foi apreendida. O outra infração gravíssima: ela não tinha luzes, o que poderia causar um grave acidente, oferecendo perigo a seus ocupantes e às demais embarcações que navegam no rio. Já na embarcação 10 de Março, havia um número de tripulação maior do que estipulado, porém, o comandante desta embarcação estava com todos os documentos em dia, além dos tripulantes, com os itens de segurança. As embarcações que transportam passageiros, devem obrigatoriamente informar à Capitania dos Portos, o número correto de passageiros, além da identidade de cada um deles, para que em caso de acidente, seja facilitada e precisa a busca pela tripulação”, explicou o comandante.

Após a abordagem pela fiscalização, as embarcações retornaram para o Porto Geral de Corumbá. A embarcação 10 de Março formalizou a identificação de seus passageiros e seguiu viagem, pois tinha licença para navegação. Já a chata Majestade, ficou apreendida, sob responsabilidade de seu proprietário, e só poderá voltar a navegar após quitação das multas aplicadas. O gado que estava na barcaça foi retirado ainda na noite de quinta-feira, já os demais itens, como alimentos e combustíveis, estavam sendo retirados nesta sexta-feira (03).

“O responsável, de cerca de 40 anos, foi autuado pelo descumprimento de normas de navegação em sua embarcação, que ficou apreendida no cais do Porto. Ele tem o prazo de até 8 dias para se dirigir à Capitania, prestar os esclarecimentos  e tudo indica que ele será multado. A embarcação será liberada após a quitação do débito. Cada item que infringiu, repercutirá numa multa. Calculamos que há um grande número de multas a serem aplicadas”, frisou o capitão dos Portos.

Cerveira ainda afirmou a este Diário, que esta não é uma situação comum e que a fiscalização é feita rio Paraguai, visando a segurança da navegação. “Essa não é uma situação do cotidiano. Conseguimos identificar essa embarcação através de um mapeamento feito pela Capitania. A Marinha do Brasil vem intensificando a fiscalização do tráfego aquaviário a qualquer dia, hora, e principalmente em período noturno. Há uma tendência de acharem que à noite a fiscalização não ocorre, o que não é verdade e com a apreensão desta embarcação mostramos isso, que as fiscalizações estão intensas no percurso do rio Paraguai. Temos um único objetivo, que é reforçar a segurança de navegação, preservando a vida de quem participa dessa atividade”, afirmou.

A Marinha do Brasil reforça que as embarcações que estão irregulares, devem procurar imediatamente a Capitania para a regularização. “É de suma importância que os comandantes das embarcações zelem pela vida de seus passageiros”, concluiu o comandante Cerveira.

Jornal Midiamax