Cotidiano

Família mobiliza rede social para tratamento de criança com câncer

Pais têm esperança de curar o pequeno João Gabriel

Thatiana Melo Publicado em 12/04/2015, às 19h12

None
11121770_1571170256481381_1439760557_n.jpg

Pais têm esperança de curar o pequeno João Gabriel

Uma história de muita luta, que os pais do pequeno João Gabriel de 1 ano de idade enfrentam desde os 7 meses de vida do menino. Willian Pereira de Almeida, de 30 anos, e Rafaela Ottoni Paiva, de 23 anos, corretores de imóveis, fala que descobriram a doença do filho por causa da moleira do bebê, que estava estranha e no começo a desconfiança era de meningite. “Quando fomos fazer os exames no João para nossa surpresa era um tumor de 7,8 cm, e tivemos que opera-lo com urgência aqui em Campo Grande”, fala Rafaela.

Desde o dia 18 de Julho de 2014 a família trava uma luta pela sobrevivência do menino, que já passou por duas cirurgias. Depois da retirada de um pedaço do tumor, que foi reduzido a 1,3 cm, foi constato que dois meses após o procedimento a doença tinha avançado novamente e que o tumor já estava com 3,7cm.

“Só quem passa por isso, para saber o quanto é difícil, é uma dor muito grande, mas que eu guardo só para mim por que não quero passar isso para ele”, diz Rafaela que explica que na segunda operação do filho, foram gastos 130 mil reais com os custos da viagem para São Paulo. “Tivemos que fazer um empréstimo para operar, o João Gabriel, por que em Campo Grande não achamos um bom especialista neurocirurgião pediátrico”, explica a mãe. “Depois dessa segunda operação achamos que ele estava curado e fazíamos o acompanhamento, através de exames”, diz.

Mas, o que a família não esperava e acabou acontecendo foi à volta da doença descoberta,  através de um exame de rotina, no dia 27 de janeiro deste ano, quando foi constato um crescimento do tumor no crânio do menino de 0,8 cm, que em março já tinha avançado para 4 cm.

“Eu e meu marido somos corretores, mas não temos mais cabeça para trabalhar e agora precisamos vender nosso carro para pagar uma nova cirurgia para ele em Barretos, no dia 14 de abril”, fala Rafaela. O casal ainda é pai de uma menina de 2 anos e 7 meses. “Ele esta muito bem, e nem parece que já foi operado. É uma criança ativa que tem um olhar que da esperança para a gente, e temos certeza que vamos conseguir”, diz Rafaela.

Quem quiser colaborar com a família pode fazer doações, através da conta corrente 0600328-1, agência 2634, banco Bradesco, ou pode entrar em contato pelo telefone  9268-0909.

Dados

Segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) por ano são diagnosticados 9000 casos de câncer infanto-juvenil, sendo a segunda causa de mortalidade entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. A AACC/MS (Associação dos Amigos com Câncer) em 2014 atendeu 181 crianças e adolescentes, dando assistência a 634 usuários indiretos.

Ficar atento aos primeiro sintomas é importante para um diagnóstico precoce e tratamento rápido. Os sintomas listados pelo Inca, como sinais de que a criança ou adolescente possa ter a doença, e os pais precisam ficar atentos é perda de peso, palidez inexplicável, manchas roxas, sangramento pelo corpo sem machucado, febre prolongada, vômitos acompanhado de dor de cabeça, diminuição da visão, desequilíbrio, dores nos ossos ou nas juntas, caroços em qualquer parte do corpo e crescimento do olho.

Jornal Midiamax