Cotidiano

Em Campo Grande movimento quer ‘levar’ roupas e dignidade para comunidades

O objetivo do projeto, segundo o idealizador, é ir além do espírito da solidariedade 

Gerciane Alves Publicado em 20/02/2015, às 16h27

None
roupa.jpg

O objetivo do projeto, segundo o idealizador, é ir além do espírito da solidariedade 

Criado no final de 2014 pelo advogado e psicólogo Leandro de Moura Ribeiro o movimento “Roupa para todos – Doe Roupa, Doe Vida” realiza neste sábado (21) seu primeiro encontro de compartilhamento.

O objetivo do projeto, segundo o idealizador, é ir além do espírito da solidariedade e expandir ações que geralmente são realizadas em períodos específicos como o Natal. A intenção é trabalhar com ações solidárias durante todo o ano de 2015 com o intuito de compartilhar ao invés de doar o que está há muito tempo sem sair do armário.

Leandro explica que a ideia de criar o movimento surgiu a partir de uma observação no próprio guarda-roupa. “Quando olhei meu guarda-roupa e vi aquele monte de peças novas que nunca usei e não usaria percebi que estava sendo egoísta em deixar lá, por isso resolvi doar”, conta o advogado.

Acreditando que havia mais pessoas na mesma situação, Leandro resolveu criar uma página no Facebook para arrecadar roupas. Foi aí que o projeto começou a ganhar forma. O advogado conta que hoje o “Roupa para todos” já possui uma equipe com aproximadamente 70 colaboradores. “Cada um ajuda como pode e quando pode”, explica.

Segundo Leandro o principal objetivo do projeto não é apenas doar roupas, mas devolver a dignidade das pessoas. “Queremos ampliar o conceito de solidariedade, não queremos apenas fazer caridade. Queremos interagir com essas pessoas, lembrar que elas fazem parte da sociedade e que somos todos iguais”.

O advogado conta que tudo é planejado com no mínimo um mês de antecedência. As roupas são recolhidas em local informado na página no Facebook, são contabilizadas e a partir daí é feita uma pesquisa de campo para decidir onde as roupas serão compartilhadas. “Visitamos vários locais como comunidades quilombolas, associações de catadores de materiais recicláveis e moradores de rua para saber onde estão realmente precisando das roupas”.

No último encontro foram contabilizados, segundo Leandro, 2.150 peças de roupas e alguns sapatos.

O “Roupa para todos” foi bem aceito em Campo Grande e já está se expandindo para outras cidades do Estado e do Brasil. De acordo com Leandro já há interesse de pessoas de cidades como Aparecida do Taboado, Água Clara e Nioaque em realizar o projeto e até de São Paulo e Espírito Santo.

O compartilhamento das roupas acontecerá amanhã em quatro lugares, dois deles já foram definidos e os outros dois ainda estão sendo estudados.

Leandro destaca que qualquer pessoa pode participar do movimento, independente da religião ou partido político. Para ele o resultado é gratificante e faz bem. “É muito bom poder ver o sorriso no rosto das pessoas. Quando não pratico solidariedade, fico doente”, conclui Leandro emocionado.

Para participar e ter mais informações sobre o projeto e só acessar a página “Movimento Roupas para todos” no Facebook.

Jornal Midiamax