Cotidiano

“Ela gostava de dançar”: família de jovem que perdeu perna em acidente lamenta

Ela é cabeleireira e sempre fazia o mesmo caminho

Kemila Pellin Publicado em 09/08/2015, às 22h29

None
1012396_526343720797784_1904323428_n.jpg

Ela é cabeleireira e sempre fazia o mesmo caminho

“Ela gostava muito de dançar, era pagodeira” disse José Guilherme Afonso da Silva, irmão de Joseane Aparecida da Silva, vítima em um acidente na Avenida Duque de Caxias, na noite de sábado (8). A jovem perdeu a perna ao ser prensada contra o muro da Área Militar por um veículo descontrolado.

“Eu sempre vi nos jornais crimes com pessoas inocentes, mas nunca achei que aconteceria com a minha família”, relata o irmão ao contar que soube do acidente de Joseane por uma enfermeira da Santa Casa, quatro horas depois do ocorrido. “Nós de casa fomos saber eram 23 horas, quando uma enfermeira teve a bondade de abrir sua bolsa e verificar seus documentos”. Populares e militares que estavam na Área Militar na hora do acidente informaram que havia acontecido por volta das 19 horas.

José disse que a família está muita abalada com situação, sem saber ao certo como será daqui para frente. Segundo ele, os pais, que são naturais de Porto Murtinho e vieram para Campo Grande por conta da carreira militar do pai, que agora já é aposentado, pretendiam voltar para a cidade natal, mas terão de adiar os planos por algum tempo.

Sobre o quadro clínico da irmã, ele disse que ela esta bem e deve receber alta ainda nesta semana. “Ela está bem, até brincou quando fomos visitá-la, acho que deve receber alta entre amanhã e terça-feira (9)”, disse.

José também fez questão de dizer que Joseane tem 31 anos, conforme consta no boletim de ocorrência e não 17, como informou a Santa Casa. “Ela é bonita, trabalha num salão de beleza, nas mediações do Hotel Vale Verde. Elas estava a caminho de casa quando tudo aconteceu. Ela sempre faz esse percurso, sempre…”, conta o irmão.

Em relação ao suspeito, o tom é de raiva e incompreensão, sempre destacando que a irresponsabilidade do motorista estragou a vida de Joseane. No momento do acidente uma equipe da Polícia Militar foi acionada e, no local pediu para que o motorista fizesse o teste de etilômetro, o que constatou a embriaguez.

Acidente

Segundo o boletim de ocorrência, Joseane caminhava na calçada da Avenida Duque de Caxias, no sentido do aeroporto, quando Paulo Henrique Mendes da Silva, de 23 anos, que conduzia um Vectra, branco, placas HRL-9268, de Campo Grande (MS), perdeu o controle da direção e atropelou a mulher.

A informação é de que, no momento em que perdeu a direção do carro, Paulo subiu na calçada, atingiu a vítima e ainda prensou-a contra o muro da Área Militar. 

Jornal Midiamax