Detentos trabalham na reforma de escola estadual em Campo Grande

Gastos com obra são custeados com desconto dos salários dos próprios detentos
| 07/07/2015
- 18:24
Detentos trabalham na reforma de escola estadual em Campo Grande

Gastos com obra são custeados com desconto dos salários dos próprios detentos

Detentos do regime semiaberto e aberto iniciaram na última quinta-feira (2) a reforma da Escola Estadual Flavina Maria da Silva, no Jardim Botafogo. O trabalho faz parte do Projeto Pintando e Revitalizando Educação com Liberdade.

A reforma é custeada com o dinheiro arrecadado por meio do desconto de 10% do salário dos presos que trabalham no regime semiaberto e aberto. De acordo com o idealizador do projeto, juiz Albino Coimbra Neto, titular da 2ª Vara de Execução Penal, os próprios presos trabalham na obra e todos os custos com materiais são pagos com parte do salário (10%) dos apenados que estão empregados em órgãos públicos, parques e indústrias da cidade. De acordo com uma estimativa, o governo estadual já economizou mais de R$ 1,2 milhão com este projeto.

O tempo de duração da reforma na Escola Estadual Flavina Maria da Silva, orçada em R$ 97 mil, será de 45 dias, abrangendo pintura, pode de árvores e reforma geral dos dois pavilhões de salas de aula, pavilhão administrativo e quadra de esportes coberta. Além disso, serão construídas duas coberturas, uma delas na entrada da escola e outra entre o pavilhão administrativo e as salas de aula. O trabalho ainda contará com ações sustentáveis que garantirão a captação da água da chuva para a limpeza do pátio e irrigação de uma horta que será construída no local.

De acordo com o diretor do Presídio Semiaberto da Gameleira, Tarley Cândido Barbosa, que coordena a execução das reformas, o projeto busca dar uma conotação mais próxima de tudo o que é feito na instituição, “Ele proporciona dignidade aos que lá trabalham, como também aos internos que têm a oportunidade de devolver para a sociedade uma justa remissão de pena”. Além disso, segundo o diretor, com um escola reformada os alunos passam a dispor de um local de estudo que estimula a busca por maior conhecimento. 

Veja também

Entretanto, de um posto para outro, combustível apresenta variação de até 50 centavos

Últimas notícias