Cotidiano

Denúncia de compra de votos atinge até a eleição para conselheiro tutelar

Contagem dos votos começará por volta das 17h30

Midiamax Publicado em 04/10/2015, às 17h03

None
conselho.jpg

Contagem dos votos começará por volta das 17h30

A eleição para conselheito tutelar, que ocorre neste domingo (4) em todo o País, tem denúncias de compra de voto em Campo Grande, além de boca de urna, que é proibida. A votação segue normal até às 17h.

No início da tarde de hoje um leitor do Midiamax entrou em contato com o jornal para informar que algumas pessoas estariam recebendo dinheiro para votar em determinado candidato na Escola Municipal Licurgo de Oliveira Bastos, localizado na Vila Nasser. Ao todo, 30 postulantes concorrem às vagas.

“Três pessoas me informaram que nesta escola estão comprando votos e que outras estariam oferecendo carona para que o eleitor vote em seus candidatos”, disse o leitor, que preferiu não se identificar.

A presidente do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), Dalva Cisi, comenta, no entanto, que tais  informações sobre irregularidades também foram recebidas pela organização eleitoral, mas nenhuma delas foi comprovada.

“Algumas pessoas vieram nos informar sobre boca de urna e compra de votos, mas até agora não constatamos nenhuma irregularidade. Guardas municipais estão atentos no pontos de votação e eu juntamento com promotores, passamos nas seções para acompanhar a votação”, destacou.

Na última eleição para conselheiros aproximadamente 10.300 eleitores foram às urnas. A estimativa para este domingo, segundo o CMDCA, é que 20 mil pessoas participem da eleição. A contagem dos votos começará a partir das 17h30.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as informações ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax