Cotidiano

Confusão em repasse da Prefeitura atrasa vale-transporte de terceirizados da Seleta

Atrasos estão virando rotina, afirma presidente do Senalba

Kemila Pellin Publicado em 14/10/2015, às 18h31

None
images.jpg

Atrasos estão virando rotina, afirma presidente do Senalba

A presidente do Senalba-MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado de Mato Grosso do Sul), Maria Joana Barreto Pereira, explicou que uma confusão no repasse do vale-transporte dos funcionários da Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária), fez com que alguns servidores ficassem sem ter como ir ao serviço nesta quarta-feira (14).

Conforme explicou a presidente, na última sexta-feira (9), o Executivo fez o depósito para pagamento dos salários e vale-transporte dos funcionários da Seleta e Omep (Organização Mundial para a Educação Pré-Escolar), porém o valor do passe dos terceirizados da Sociedade Caritativa foi menor do que necessário. “A Prefeitura repassou apenas R$ 27,757 mil dos R$ 156 mil, mas eles reconheceram e disseram que iriam depositar o valor hoje, e amanhã a situação deve estar normalizada”, acrescentou.

Segundo ela, os funcionários são orientados a pegar uma declaração, assinada pela diretora da unidade, afirmando que não podem ir ao trabalho por não terem vale-transporte. “Eles podem faltar, desde que tenham essa declaração. Com isso a falta não pode ser descontada do salário”, afirma.

A Prefeitura informou que todos os pagamentos já foram regularizados.

Atrasos

Segundo Maria Joana, os atrasos salariais estão sendo recorrentes, desde que o prefeito afastado Gilmar Olarte assumiu o cargo, e que mesmo com a volta de Alcides Bernal, a situação ainda não foi regularizada. “A gente já teme pelo mês que vem, porque parece que virou rotina, todo mês é a mesma coisa”, conclui.

Jornal Midiamax