Cotidiano

Confirmado mais um caso de raiva em morcego em Campo Grande

Um homem de 38 anos morreu vítima da doença em maio

Kemila Pellin Publicado em 29/09/2015, às 17h59

None
download.jpg

Um homem de 38 anos morreu vítima da doença em maio

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Campo Grande confirmou que o morcego encontrado no bairro Itanhangá, região central da cidade, no dia 18 de setembro, representa o sexto caso de animais diagnosticados com o vírus na Capital só em 2015.

De acordo com a veterinária do Centro de Zoonoses, Ana Paula, alguns casos não se tornaram públicos, o que levou a informação equivocada de que seriam apenas três casos.

O primeiro caso divulgado pela mídia, foi em fevereiro, onde quatro animais foram encontrados dentro de um condomínio, na região central da cidade. O segundo foi em abril, em uma residência, também na região central e o terceiro e mais recente, foi o do animal encontrado numa residência, no Bairro Itanhangá.

Ana Paula explicou que em todas as ocorrências, equipes do CCZ começaram uma campanha de vacinação em gatos e cachorros da região, assim que os morcegos resgatados apresentaram diagnóstico positivo para o vírus.

Em maio deste ano, um homem de 38 anos, morador da cidade de Corumbá, foi diagnosticado com o vírus da raiva, e morreu após 25 dias internados no Hospital Universitário de Campo Grande.

Ainda de acordo com a veterinária, técnicos do CCZ estão nas ruas da cidade, vacinando cães e gatos e distribuindo material informativo, que ajudam a orientar os moradores e comerciantes sobre as medidas a serem adotadas, em caso de aparição de morcegos nas residências e estabelecimentos.

A campanha de vacinação antirrábica começou em setembro e deve contemplar toda a cidade. Nesta semana, devem ser imunizados os animais da região norte. Caso o dono não esteja em casa no momento da visita do técnicos, o animal pode ser levado ao Centro de Zoonoses, entre às 7 e 21 horas, para receber a vacina gratuitamente.

Jornal Midiamax