Cotidiano

Com meta de 100 cirurgias por ano, Azambuja lança campanha de doação de órgãos

Artistas abraçaram a causa e vão estampar campanha

Midiamax Publicado em 30/09/2015, às 13h42

None
img-20150930-wa0052.jpg

Artistas abraçaram a causa e vão estampar campanha

A campanha “Sou Doador de Órgãos, Minha Família Já Sabe”, lançada na manhã desta quarta-feira (30), no auditório da Governadoria, tem o objetivo de conscientizar a população de que é necessário informar aos familiares o desejo de ser um doador. A meta da SES (Secretaria de Estado de Saúde) é que com a conscientização seja possível realizar de 50 a 100 cirurgias ao ano.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destaca que neste ano, 63 pessoas, em condições de doar os órgãos, morreram. Destas, 29 famílias foram contatadas, no entanto, apenas oito aceitaram doar os órgãos do familiar morto.

O titular da SES, Nelson Tavares, reforça que o principal desafio é fazer com que os familiares autorizem a doação de órgão. “Nosso objetivo é fazer que as pessoas conversem com os parentes sobre a vontade de ser doador”, declara.

De acordo com o secretário os procedimentos estão sendo reorganizadas. “Queremos acabar com a fila. A meta é fazer de 50 a 100 cirurgias por ano”, frisa.

Em dezembro de 2013, o Ministério da Saúde suspendeu os transplantes para que a Santa Casa pudesse passar por readequações tanto na estrutura física, quanto na qualificação dos profissionais, que participaram de cursos em hospitais renomados de São Paulo.

Em março de 2015, depois de cumprir as exigências do Ministério da Saúde, o hospital foi liberado para a realização do procedimento, no entanto, o primeiro transplante foi realizado no dia 21 de julho. Na ocasião, o pastor Vanildo Pereira dos Santos, de 47 anos, que fazia hemodiálise há 11 anos, recebeu os rins da esposa viva, Fabiana dos Santos, de 42 anos.

Dados da SES revelam que desde o início das cirurgias de transplante de órgãos no Estado, no ano de 1999, ou seja, há 16 anos, foram realizados 2.163 transplantes de córneas, 603 de rim, 33 de tecido muscular esquelético e 14 de coração.

Podem ser transplantados: coração, córneas, fígado, ossos, pâncreas, pele, pulmões, rins, tendões e válvulas cardíacas. A campanha lançada nesta manhã já está estampada em alguns outdoors de Campo Grande e conta com o apoio da dupla sertaneja Munhoz e Mariano. Outros artistas também devem apoiar a causa.  

Jornal Midiamax