Cotidiano

Cliente de Campo Grande encontra ‘surpresa’ em garrafa de refrigerante

Procon será acionado para denúncia

Thatiana Melo Publicado em 05/07/2015, às 19h04

None
coca_3.jpg

Procon será acionado para denúncia

Andréia Cercarioli, de 39 anos, teve uma surpresa ao chegar a sua residência nesse sábado (4) depois de comprar, em um supermercado atacadista da cidade, um fardo de refrigerantes em que em uma das garrafas, além do refrigerante tinha uma ‘gordura’ estranha como a própria consumidora relata.

“Fiquei indignada. Somos consumidores e quero saber o que tem dentro desta garrafa”, fala Andréia que afirmou ter tentado entrar em contato com a ouvidoria da empresa de refrigerantes sem sucesso. ”Não consigo falar no telefone, porque ninguém atende, mas vou procurar o Procon para fazer a reclamação”, ressalta.

Andréia ainda fala que não procurou o supermercado para reclamar porque a única providência do estabelecimento seria trocar o produto. “Vou procurar quem faz perícia para saber o que está na garrafa”, explica.

“A garrafa está lacrada, então não foi algo que caiu quando abri, ela veio desse jeito”, diz. Ao voltar ao supermercado neste domingo (5) para comprar outro refrigerante, a jornalista percebeu que a garrafa também estava com o mesmo problema. “Fui comprar outro refrigerante e a mesma coisa aconteceu”, relata.

De acordo com o  CDC (Código de Defesa do Consumidor), a empresa, fabricante ou fornecedor tem responsabilidade na reparação de danos quando da venda de produtos impróprios para o consumo.

Art. 12. O fabricante, o produtor, o construtor, nacional ou estrangeiro, e o importador respondem, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos decorrentes de projeto, fabricação, construção, montagem, fórmulas, manipulação, apresentação ou acondicionamento de seus produtos, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua utilização e riscos.

§ 1° O produto é defeituoso quando não oferece a segurança que dele legitimamente se espera, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais:

 I – sua apresentação;

II – o uso e os riscos que razoavelmente dele se esperam;

III – a época em que foi colocado em circulação.

A equipe de Jornalismo do Jornal Midiamax tentou entrar em contato com a ouvidoria da empresa de refrigerantes, mas por ser fim de semana não obteve resposta.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax