Cotidiano

Campanha pede 10 MEGA de Internet em todas as escolas públicas do país até 2016

Campo Grande possui mais de 180 instituições públicas de ensino

Kemila Pellin Publicado em 10/08/2015, às 20h14

None
escola_municipal_gw_pequena_0.jpg

Campo Grande possui mais de 180 instituições públicas de ensino

Uma iniciativa da Fundação Lemann e do Instituto Inspirare, em parceira com o Instituto de Tecnologia & Sociedade e a rede de mobilização Nossas Cidades, estão fazendo uma campanha para tentar sensibilizar o governo Federal a implantar internet rápida em todas as escolas públicas do país até 2016. O objetivo é a universalização de internet rápida para tornar possível o uso de tecnologias da educação em salas de aula.

A campanha também chama atenção para o fato de que, além da infraestrutura, é necessário que haja uma velocidade mínima para que a rede possa ser usada por todos os alunos no processo de aprendizagem. “A Internet rápida democratiza o acesso a recursos pedagógicos de qualidade e promove a personalização, permitindo que alunos com diferentes perfis aprendam no seu ritmo e a partir de seus interesses e necessidades”, afirma Anna Penido,  diretora do Instituto Inspirare.

O diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne, argumenta que o uso das tecnologias como ferramentas de ensino aproxima a escola da realidade digital já vivida pelo aluno, despertando seu interesse e ampliando suas possibilidades de expressão. “O professor também ganha muito com a Internet na escola. Ela facilita a organização do tempo em sala de aula, o que o possibilita atuar de maneira mais intensa como orientador na formação dos alunos e mediador do processo de aprendizagem”.

Mizne ainda explica que o movimento espera impactar o Governo Federal com a assinatura, até o final deste ano, de um compromisso formal por Internet rápida em todas as escolas públicas brasileiras, a ser implementado já em 2016. “Se não houver uma iniciativa neste sentido, a tendência é um aumento das desigualdades existentes na educação brasileira, já que somente parte das escolas tiveram a rápida introdução de tecnologias digitais conectadas à Internet”, conta Mizne.

Um mapeamento técnico encomendado pelo movimento mostra que, de acordo com dados do Censo Escolar de 2013, das 190.706 escolas incluídas no levantamento, apenas 58% delas (11.053) possuem acesso à Internet, índice que cai para 48% se levarmos em conta as que dispõem de banda larga.

Anna Livia Arida, diretora da Rede Nossas Cidades, lembra que a Pesquisa TIC Educação, realizada em 2013 pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), apontou que apenas 19% das escolas públicas brasileiras contam com conexão superior a 2 MEGA de velocidade. “A campanha de mobilização Internet na Escola pede o engajamento de toda a sociedade para mudarmos esse cenário”, convoca.

Em Campo Grande tem 94 escolas municipais e 88 instituições de ensino estaduais, entre escolas e centros de capacitação. A equipe de reportagem entrou em contato com a Prefeitura e o governo do Estado para saber se elas possuem internet e qual a qualidade do serviço, porém não obteve resposta até a publicação da reportagem.

No site internetnaescola.org. é possível realizar um teste online que permite a alunos, professores e gestores escolares identificar a velocidade de conexão já disponível em suas escolas, enviar e-mail para a Presidência da República pedindo a assinatura do compromisso público por 10 MEGA de Internet em todas as escolas, além de compartilhar informações para ajudar na mobilização de toda a sociedade.

Jornal Midiamax