Cotidiano

Após veto do governo, ponte sobre o Rio Paraguai é nomeada Manoel de Barros

Sugestão foi reapresentada neste ano na Casa

Evelin Cáceres Publicado em 17/06/2015, às 11h46

None
ponte.jpg

Sugestão foi reapresentada neste ano na Casa

O projeto que nomeia a ponte sobre o Rio Paraguai (na BR-262) de Manoel de Barros agora é lei. De autoria do deputado estadual Márcio Fernandes (PTdoB), o projeto foi vetado pelo governador Reinaldo Azambuja sob a justificativa de que se tratava de uma rodovia federal, não cabendo aos parlamentares estaduais a instituição do nome.

Apesar disso, os deputados resolveram derrubar o veto e a lei foi sancionada pelo presidente da Assembleia, Junior Mochi (PMDB) nesta quarta-feira (17), na edição do Diário Oficial do Estado.

O entendimento dos deputados é de que a rodovia, embora seja federal, tenha a ponte como concessão estadual e recebe recursos do Estado. De acordo com Marcio Fernandes, esta é uma maneira de fazer uma justa homenagem para o poeta.

No ano passado, o então deputado estadual Jerson Domingos (PMDB), apresentou proposta com a mesma ideia, mas foi retirada e arquivada pela Assembleia.

Legado

Reconhecido internacionalmente, em 1986 foi considerado pelo poeta Carlos Drummond de Andrade como o maior poeta brasileiro vivo. Manoel de Barros deixou sete décadas de legado, onde recebeu inúmeros prêmios literários, escreveu mais de 20 livros de poesia, além de obras infantis e relatos autobiográficos. O poeta faleceu no dia 13 de novembro do ano passado.

Jornal Midiamax