Cotidiano

Após flagra e apreensão, diretor do Detran-MS diz que regularizou carros da mulher

Débitos que passam dos R$ 4 mil teriam sido pagos

Evelin Cáceres Publicado em 13/04/2015, às 14h14

None
_mg_8018.jpg

Débitos que passam dos R$ 4 mil teriam sido pagos

Depois que a irmã Eliane Bernardo se envolveu em um acidente em Sidrolândia e veio a público que o veículo com débitos desde 2013 estava em nome da mulher do diretor-presidente do Detran-MS (Departamento de Trânsito de Mato Grosso do Sul) Gerson Claro, outro carro registrado por Kátia Regina Bernardo Claro apresenta débitos. Ambos, porém, já teriam sido pagos.

Segundo o diretor, os veículos, um Honda City e um Prisma 2010, eram de uso da família da esposa. Questionado sobre o uso de um veículo sem a transferência nem alegação de venda, Gerson disse que essas coisas não se fazem em família.

“É difícil te responder, né? Ela (esposa) comprou, deu para a mãe e como fazer alegação de venda da irmã, da mãe? É família, isso não se faz, a gente tenta ajudar. Eu exigi que cumprissem as leis, não estou falando que é legal isso (não transferir)”.

Segundo Claro, os documentos já foram pagos. Em consulta ao site do Detran-MS, ainda não aparecem as regularizações porque, de acordo com o diretor, a quitação dos débitos demora  5 dias para aparecer online.

Prisma

Depois do Honda City, surgiram nesta segunda-feira novas denúncias de débitos em nome de Kátia. De acordo como site Visão Popular, há um Prisma, placas HTQ-3204, em nome da esposa de Gerson, com R$ 1.256,93 em débitos. Entre eles, licenciamento desde 2012, multas e seguro obrigatório de 2014 e 2015.

Gerson disse que este veículo estava com a sogra e que ele também teve os débitos quitados.

Jornal Midiamax