Cotidiano

Empréstimo de R$ 300 milhões será para a pavimentação de 12 bairros da Capital

A Prefeitura de Campo Grande anunciou o asfaltamento de 12 bairros da cidade a partir de 2014. O projeto foi apresentado pelo prefeito Alcides Bernal (PP), em visita na manhã desta segunda-feira (1º) à Câmara Municipal. Para a execução das obras, a prefeitura vai fazer financiamento de R$ 300 milhões junto à Caixa Econômica Federal. Bernal […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 16h12

None
751957049.jpg

A Prefeitura de Campo Grande anunciou o asfaltamento de 12 bairros da cidade a partir de 2014. O projeto foi apresentado pelo prefeito Alcides Bernal (PP), em visita na manhã desta segunda-feira (1º) à Câmara Municipal.


Para a execução das obras, a prefeitura vai fazer financiamento de R$ 300 milhões junto à Caixa Econômica Federal.


Bernal bem que tentou esconder o nome dos bairros, mas constam no projeto o asfaltamento dos bairros Belinati, Nova Campo Grande, Jardim Panamá, Sírio Libanês, Alto São Francisco e Nasser, todos na região do Imbirussu.


Já na região do Segredo serão asfaltados os bairros Anache, Zé Tavares, Nova Lima, Atlântico Sul, Seminário e Mata do Jacinto. As obras devem começar no próximo ano.


Segundo Bernal, os bairros contemplados são aqueles “esquecidos” pelas administrações passadas.
Já para o presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), os projetos de asfaltamento dos bairros já tinham sido apresentados na gestão passada. O peemedebista, porém, elogiou o fato do asfalto chegar depois da drenagem urbana nos bairros, evitando ter que refazer a obra depois.


Moradores ‘duvidam’ de obras

Entretanto os moradores não estão muito confiantes com o anúncio das obras. Para a dona Damiana Bispo dos Santos, 56, moradora do Nova Lima, há anos essa promessa vem sendo feita. “Será que vai asfaltar mesmo? A gente só vai acreditar quando chegar né. Quando chove aqui é uma tristeza. O barro que fica aqui é só vindo pra ver mesmo”, disse.

O estudante João Paulo Rodrigues, 15, que seguia para a escola na região do Anache também se mostrou descrente com a notícia. “Asfalto? Desde o que o Nelsinho era prefeito eles falavam que vão asfaltar. Em dia que chove forte alaga tudo e não tem nem como sair de casa quem dirá ir na aula”, afirmou.

As funcionárias de uma padaria no Jardim Colúmbia, Inara Lázaro, 16 e Vanessa Caroline Bernardo, 21, informaram que a falta do asfalto prejudica e muito e região. “Sinceramente é horrível, cheio de buraco, pedra, lixo e quando chove é pior ainda, alaga tudo. Vamos ver se esse asfalto vem mesmo”, falou Vanessa.

José Felix dos Reis, 43, que trabalha com serviços gerais, disse que mora ha 24 anos no Nova Lima e quando chove vira um caos. “Carro atola, criança descendo a pé no barro pra ir pra escola, gente saindo na lama pra trabalhar. É muito ruim. Agora asfaltar temos que ver, desde o Nelsinho eles falam que vai ter né?”, declarou.

Everaldo Gomes, dono de uma revendedora de gás, que mora na região do grande nOva lima há mais de 20 anos disse que agora esta até melhor, porque ha duas semanas houve um patrolamento nas ruas mais perigosas, mas que asfalto ele só acredita quando fizer. “Desde a época do André (Puccinelli) prefeito tem promessa. Fizeram o Vida Nova I, II e II e pra nos só veio a linha do ônibus. Vamos esperar pra ver”, ressaltou.

Mobilidade Urbana


Bernal aproveitou a visita à Câmara para apresentar também o projeto de mobilidade urbana de Campo Grande, que faz parte do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento), do governo federal.


A prefeitura vai financiar R$ 120 milhões e receber outros R$ 59 milhões da União. Segundo o projeto, a verba será destinada para a construção de quatro novos terminais de ônibus, reforma dos terminais já em atividade, além da criação de corredores exclusivos de ônibus.

Jornal Midiamax